‘Ele já veio para executar o meu irmão e nós queremos justiça’, diz irmã de homem morto por PMs em Contagem, na Grande BH

‘ele-ja-veio-para-executar-o-meu-irmao-e-nos-queremos-justica’,-diz-irma-de-homem-morto-por-pms-em-contagem,-na-grande-bh


Polícia Militar diz que homem foi socorrido com vida, mas morreu no hospital; família nega e diz que ele já chegou morto ao local. Homem é morto após abordagem da PM na Vila Barraginha, Contagem
Arquivo Pessoal
“Ele já veio pra executar o meu irmão. E nós queremos justiça”, diz Daniele Aparecida Vieira sobre a morte do irmão Marcos Vinícius Vieira Couto, que ocorreu após abordagem feita por militares na madrugada deste domingo (17), na Vila Barraginha, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
Ela conta que a polícia foi acionada depois de uma briga com outra pessoa, na comunidade e que o militar que atirou contra o Marcos Vinícius é conhecido na região. Ainda de acordo a dona de casa, Marcos Vinícius recebeu dois tiros na cabeça e já teria chegado ao hospital sem vida.
Entenda o caso
Marcos estaria em um bar quando foi abordado pela polícia. De acordo com os parentes, os militares argumentavam ter recebido denúncia de que ele estaria fazendo disparos no local. Mesmo após negar estar armado, ele teria sido morto.
Imagens de vídeos feitos por moradores da região mostram o momento em que a vítima conversa com os policiais com as mãos para cima e depois é levado para parte de trás de um veículo. Em seguida, é possível ouvir disparos de arma de fogo e a gritaria de testemunhas dizendo que ele não reagiu.
Em entrevista coletiva realizada neste domingo (17), a Polícia Militar confirmou que um dos militares atirou três vezes após Marcos reagir durante a abordagem, mas que a vítima foi socorrida com vida e morreu no hospital. O militar envolvido na ocorrência foi conduzido para o 39º Batalhão, onde foi feito o flagrante de prisão. Agora, ele fica à disposição da Justiça Militar de Minas Gerais.
“Não há qualquer tipo de excesso, de exagero na abordagem”, afirmou a porta-voz da Polícia Militar, major Layla Brunnela, que também aponta edição nos vídeos que circulam em redes sociais. Segundo ela, é possível ver um volume [que seria a arma] no bolso de trás da roupa do suspeito, nas imagens. Segundo a PM, ele tem sete passagens por porte de arma, nove por tráfico e uma por venda de armas.
Denúncia à Comissão de Direitos Humanos
A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Minas Gerais afirmou ter acionado as autoridades, como o Ministério Público e a Ouvidoria de Policia do Estado.
Segundo a comissão, essa foi a “terceira execução no local em menos de duas semanas” e, de acordo com denúncia à entidade, ocorreram porque “o suposto traficante e outros não pagaram os valores de suposta corrupção cobradas e devidas aos policiais”.
Os vídeos mais vistos do g1 Minas:

Please follow and like us:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
Instagram
Telegram
Tags :

RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
Instagram
Telegram