6 perguntas sobre open banking que talvez você esteja se fazendo agora

O Open Banking é um sistema de compartilhamento de dados entre os bancos que promete melhorar o ambiente de empréstimos e serviços oferecidos aos clientes. A ideia do Banco Central é criar um espaço para as instituições financeiras fazerem ofertas de produtos e serviços para clientes de seus concorrentes, com benefícios para o consumidor, que poderá obter tarifas mais baixas em condições mais vantajosas.

Veja a seguir algumas perguntas que você deve estar se fazendo neste momento:

1 – Como vai funcionar o Open Banking?

O Open Banking deve, em tese, aumentar a concorrência entre os bancos e reduzir o custo do crédito para os cliente, principalmente para os bons pagadores. Quem autorizar o compartilhamento de dados e históricos bancários, poderá receber propostas e condições de outros bancos e fintechs.

+ Bolsonaro e Caixa lançarão programa de crédito imobiliário voltado a policiais

Com esses dados, os bancos poderão fazer análise de crédito e moldar propostas conforme a necessidade e realidade do consumidor.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) acredita, inclusive, que, no futuro, aplicativos reúnam todas as opções existentes no mercado de crédito e façam um trabalho de pesquisa para pessoas que estejam procurando empréstimo.

2 – Como participar do Open Banking?

O consumidor terá que liberar o compartilhamento de informações bancárias para conseguir acessar as propostas de outros bancos. Isso deve ser feito pela internet e a adesão ao open banking deve surgir como opção no próprio aplicativo ou site dos bancos.

Pelas regras do Banco Central, o compartilhamento de dados bancários ocorrerá apenas se a pessoa autorizar e sempre para finalidades determinadas, por um prazo específico. Esse prazo será definido pelo cliente e pode ser de, no máximo, 12 meses.

Todo o repasse de informações deve ser indicado para o cliente, que saberá quais instituições tiveram acesso às suas informações.

3 – Como posso reclamar do uso indevido de informações?

Caso perceba alguma quebra das regras, o cliente pode recorrer ao BC. As reclamações podem ser registradas na sessão Fale Conosco. Ainda é possível recorrer ao site do BC, atendimento presencial em Brasília ou pelo número 145.

4 – Meus dados podem ser divulgados indevidamente?

A principal premissa do Open banking é que os dados dos clientes serão compartilhados apenas mediante o consentimento. Por isso, é muito importante ao dar essa permissão, que seja autorizado apenas o dado para a transação em questão e não para todos os dados. Já as instituições envolvidas precisam voltar sua atenção às questões de segurança em seus sistemas realizando testes de invasão.

5 – Como cliente de uma instituição financeira, corro mais risco de ser hackeado?

Como em qualquer outra inovação tecnológica, junto com todas as vantagens que chegam com o Open Banking, também irão chegar novas oportunidades e tentativas de fraudes, algumas utilizando métodos já conhecidos, como os phishing e vishing, ou seja, a famosa pescaria digital, por meio de páginas maliciosas. Da msma forma, como novos tipos de golpes surgirão. As instituições precisam estar preparadas e possuírem diversas camadas de controles de segurança.

6 – O Open Banking é confiável?

O Banco Central é a maior autoridade financeira do Brasil e está cuidando da implementação de todas as etapas do Open Banking. Como instituição responsável por regulamentar a atividade bancária no Brasil, espera-se que o BC assegure confiabilidade e proteção aos clientes.

O post 6 perguntas sobre open banking que talvez você esteja se fazendo agora apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.