A história do jovem borracheiro que se tornou programador em uma grande empresa nacional

Jovem borracheiro sorrindo em selfie dentro de borracharia com irmão no segundo plano da foto e Jovem borracheiro de camisa amarela trabalhando em borracharia e imagem de notebook

Samuel Nascimento renasceu com a nova estrada que se formou à sua frente.

Do trabalho como borracheiro em Osasco (SP), o jovem virou desenvolvedor de programação Java na MaxMilhas, uma grande empresa nacional. Mas a chave (de roda) para a mudança não foi tão simples.

Posso dizer que nós que nascemos nessa realidade temos que esquecer toda aquelas falas enraizadas como ‘pobre nunca vai ter nada’ ou ‘o dinheiro corrompe o homem’ e tentar sempre andar pelo correto e fazer sua parte, que cedo ou tarde e com determinação, dia após dia, os resultados chegarão“, disse o rapaz.

Jovem de camisa amarela trabalhando em borracharia
Samuel pegava no pesado na borracharia. Foto: Arquivo pessoal

Samuel é baiano, mas cresceu em Sampa com o irmão e a mãe, que sofre de transtornos psíquicos (esquizofrenia). Para sustentar a casa, os irmãos montaram a borracharia, que já funcionava há quatro anos. “Era bem tranquilo depois que acostumei, pois é um trabalho mecânico, chega um ponto em que você não pensa mais pra fazer as coisas“, relembra.

Homem entre pneus em borracharia
Samuel trabalhava com o irmão na borracharia há 4 anos. Foto: Arquivo Pessoal
Jovem borracheiro sorrindo em selfie dentro de borracharia com irmão no segundo plano da foto
Foto: Arquivo pessoal

O garoto começou a se apaixonar pela programação e por tecnologia com um jogo chamado Minecraft, no qual ele desenvolvia plugins simples. “Eu sempre me interessei por tecnologia, é algo que me fascina desde que me entendo por gente“, disse.

A plataforma de vaquinhas VOAA está realizando uma campanha para ajudar um jovem que foi preso injustamente, o produtor cultural Gugu. Clique e contribua!

No ano passado, o jovem conheceu um amigo que lhe apresentou um curso de programação em Java e ele passou meses estudando à noite, depois que saia do trabalho na borracharia.

A história de Samuel é como a do borracheiro que estudava nas horas vagas escrevendo nas paredes da borracharia.

Com o curso concluído, fez uma seleção no MaxMilhas e passou. Hoje o ex-borracheiro segue resolvendo problemas do dia a dia das pessoas, mas em outra função, na tecnologia.

Homens fazendo selfie em meio a pneus em borracharia e imagem de computadores
Samuel conheceu um amigo, que o ajudou a ingressar no mundo da programação e no mercado de trabalho. Foto: Arquivo Pessoal

Minha meta/sonho é morar fora e ter uma casa bem grande“, disse. E quem duvida que ele vai conseguir? Só pra constar, essa reportagem foi escrita por alguém que trabalhou na borracharia do pai na adolescência. Tamo junto, Samuel!

Veja também:

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.