Adotou um filhote? Veterinária dá dicas de cuidados a nova fase

Os primeiros meses de vida de um animal são extremamente importantes para o seu desenvolvimento. Afinal, é nesse período que ele absorve aprendizados e comportamentos que podem influenciar diretamente a vida adulta, inclusive no quesito saúde. Por isso, é importante que os tutores se prepararem para a chegada e a adaptação de um filhote.

A primeira, e mais importante, ação a ser feita com a chegada do novo membro da família é a visita ao médico-veterinário. O profissional poderá fazer uma verificação completa da saúde do animal e tirar todas as dúvidas clínicas e comportamentais. Além disso, é fundamental preparar a casa com acessórios que ajudem o pet a se acostumar com o ambiente de um jeito mais fácil.


0

 

Por isso, a médica-veterinária da Royal Canin Priscila Rizelo traz quatro dicas para facilitar a integração com a família e contribuir para que a relação com o tutor dê certo logo no começo. Confira:

Escolhendo a alimentação correta

A escolha do alimento para gatos e cães filhotes deve ser feita levando em consideração as necessidades individuais, de acordo com idade, raça, porte e estilo de vida. “A melhor maneira de alimentar os pets é através de uma rotina pré-estabelecida. Por isso, o ideal é sempre fornecer o alimento no mesmo local e horário”, conta a especialista.

Ela indica que os donos evitem deixar o alimento disponível o tempo todo, para que o animal não ganhe muito peso. O ideal é fornecer pequenas porções ao longo do dia e ficar atento à quantidade de alimento indicada na embalagem. “Também é muito importante realizar a transição de alimentos de forma gradual quando a dieta do filhote mudar”, frisa Priscila.

Recebendo o pet em casa

Além da comida, a ambientação é muito importante para que o filhote se sinta seguro no novo lar. “Eles são curiosos e gostam de explorar o ambiente. Por isso, é importante garantir que o espaço esteja seguro antes de recebê-los. Cuidado com plantas tóxicas, objetos delicados e quebráveis. Restrinja o acesso à piscina e às escadas. Telas nas janelas são fundamentais, especialmente para gatos”, alerta a profissional.

Além disso, é importante verificar se possui tudo o que precisa para cuidar dele e ajudá-lo a se instalar no novo lar, como, por exemplo, um local seguro e confortável para descanso. Além disso, é importante ter brinquedos interativos, comedouros e bebedouros, coleira e guia para os cães, arranhadores para os gatos, material de limpeza próprio para a espécie, acessórios para auxiliar a higiene etc.

Recompensas alimentares

Para filhotes, o treinamento é essencial e deve ser feito desde o primeiro momento que chega ao lar. Além de aprender truques que podem ajudar na rotina diária, o treino auxilia na adaptação com a guia e a coleira no caso de cães, o local correto para fazer as necessidades, além de ensinar a usar a caixa de transporte. Segundo a médica-veterinária, os alimentos úmidos são ótimos como recompensa, pois além de serem nutritivos, podem combinar com a dieta dos filhotes, sem risco de desbalancear.

“O tutor deve se atentar à quantidade de calorias, que não podem exceder o total recomendado por dia. Os alimentos úmidos podem fazer parte da alimentação do pet ou até mesmo substituir a versão seca. Ações não relacionadas aos alimentos, como elogios, carinho e brincadeiras também são ótimos aliados no processo de educação dos animais. Tudo isso funcionará como um incentivo para ele repetir um bom comportamento”, aponta a expert.

Treinamento do pet. Como fazer?

Para facilitar a adaptação, libere os espaços para o filhote aos poucos, dando o tempo necessário para que ele conheça cada cômodo do novo lar. Supervisione para que ele não se perca e não acesse locais inadequados. Gatinhos, por exemplo, adoram se esconder dentro de armários ou do forro do sofá. Também é importante mostrar ao filhote onde fica a área de descanso, alimentação e para necessidades. Esses locais devem ficar distantes uns dos outros, mas serem de fácil acesso para o filhote.

“A pandemia deixou os pets ainda mais próximos dos seus tutores, entretanto, eles devem passar por treinamentos para aprenderem a ficar sozinhos e não sofrer com a ausência do tutor. Para os cães, introduza o distanciamento aos poucos, para que eles não associem a uma experiência negativa. Os gatos devem ter, diariamente, brincadeiras que simulam a caça. Use brinquedos como ratinhos, bolinhas e varinhas. E finalize com os alimentos úmidos, que são as recompensas ideais para o término da caçada”, indica Rizelo .

Durante o período de aprendizagem, os filhotes podem cometer erros e, ao contrário do que muitos pensam, não se deve repreender o animal. A melhor forma de educá-lo é parabenizando pelos acertos e ignorando os erros.

“As sessões de treinamento não precisam ser complicadas ou durar horas. Depois de um tempo, a atenção do filhote pode começar a se desviar. Portanto, faça sessões curtas e frequentes, mesmo que seja necessário repetir a sessão algumas vezes. Para ajudar o filhote a entender, é vital ser consistente. Por exemplo, você não deve permitir algo um dia e proibir em outro. Quando se trata de treinamento, a melhor abordagem é sempre usar as mesmas palavras para os mesmos comandos e incentivar os membros da família a fazerem o mesmo”, finaliza.

O post Adotou um filhote? Veterinária dá dicas de cuidados a nova fase apareceu primeiro em Metrópoles.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.