Analista do JPMorgan vê risco de queda nos preços de Cardano, Solana e BNB

Analista do JPMorgan vê risco de queda nos preços de Cardano, Solana e BNB

Nicholas Panigirtsoglou, especialista em estratégia do maior banco americano, o JPMorgan, acredita que existe o risco de uma correção de preços para os principais concorrentes da Ethereum: Solana, BNB e Cardano.

Segundo ele, todos estes ativos digitais são projetos que desenvolvem blockchains com funcionalidade semelhante à do Ethereum.

Essas plataformas vêm ganhando espaço entre os desenvolvedores, principalmente a Binance Coin. Afinal, o criptoativo está ligado à plataforma Binance Smart Chain (BSC).

Conforme destacou o especialista, todos querem “abocanhar” uma parte do grande ecossistema de contratos inteligentes da ETH. Nesse sentido, eles tiveram sucesso no curto prazo, com todos esses ativos aumentando muito de preço.

O preço do Solana, por exemplo, cresceu 50 vezes desde o início do ano. O preço da Cardano aumentou quase 16,7 vezes durante o mesmo período. Por fim, o BNB aumentou 11,6 vezes.

Contudo, de acordo com Panigirtsoglou, esses ativos estão “superaquecidos”. Portanto, devem enfrentar uma forte correção à medida em que o preço do Bitcoin voltar a ter dificuldades para manter seu valor acima de US$ 50 mil.

“As expectativas com o ETH2.0, alinhadas a uma dificuldade do Bitcoin em manter seu valor acima de US$ 50 mil, pode desencadear uma forte correção nestas plataformas”, disse.

Bitcoin: sobe ou desce?

Já com relação ao Bitcoin, o analista disse que o preço está em nível “desconfortável”. Assim, não deve subir no curto prazo, tendo, pelo contrário, mais chances de cair ou negociar lateralmente.

Ou seja, para o especialista, é improvável que o BTC suba acima de US$ 50 mil no curto prazo.

Nessa linha, o especialista Lark Davis disse que a queda de 17% do Bitcoin não é incomum para as criptomoedas.

Portanto, ele não descarta uma nova correção, tendo em vista que, do ponto de vista técnico, existem dois níveis de suporte importantes para o Bitcoin. Um está em US$ 42,5 mil e o outro, mais abaixo, em US$ 40 mil.

Já para a analista Martha Reyes, o que ocorreu foi um caso clássico de “comprar o boato e vender o fato”. No entanto, ela destacou que os fundamentos do Bitcoin continuam fortes e devem impulsionar a alta.

“A alta havia sido originalmente estimulada pela popularidade dos NFTs e a preparação para a adoção do Bitcoin como moeda legal em El Salvador. Foi um caso clássico de comprar o boato, vender o fato. Mas os fundamentos da rede permanecem fortes. Vimos movimentos semelhantes antes de aumentos nos mercados em alta, como em novembro de 2020″, disse.

Leia também: Pirâmides figuram como crime financeiro mais frequente no 2º trimestre, diz CVM

Leia também: Solana atrai oracles à medida que aumenta o ímpeto para a próxima fase do DeFi

Leia também: Tokens DeFi valorizam até 530% em semana de baixa; confira Top-5

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.