Anita Garibaldi: a polêmica sobre o voto das mulheres na Constituinte de 1934

Biblioteca Pública do Estado está divulgando um trabalho inédito de pesquisa sobre os jornais catarinenses no período entre 1889 e 1968.  Trata-se do “Levantamento Bibliográfico sobre Anita Garibaldi”, com 654 registros de notas e reportagens na imprensa sobre a heroína.

Arão, advogado conceituado, sofreu desgaste com as críticas a Anita – Foto: Biblioteca Pública de SC

Fato inédito: trata de polêmica provocada pelo deputado Arão Rebello, do Partido Liberal Catarinense, durante a Assembleia Nacional Constituinte de 1934, no Rio de Janeiro.  Nos debates sobre a adoção do voto para as mulheres, Rebello combateu a proposta com veemência. Ao se referir a Anita Garibaldi acusou-a de não ser padrão moral e nem exemplo da mulher brasileira, classificando-a de “vagabunda”.

Recebeu uma sucessão de apartes críticos e depois de notas de várias instituições e lideranças em defesa da heroína e das mulheres.

O voto feminino foi aprovado pela Assembleia Constituinte.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.