Anywhere Office: 4 tendências para o mercado das hospedagens no Brasil

Young man with laptop and cell phone on tropical beach

Os nômades digitais são pessoas que aderiram ao modelo de trabalho “officeless”, podendo, por meio da internet/tecnologia, trabalhar de qualquer lugar do mundo. Diferente do home office, a ideia do nomadismo digital é poder ter a liberdade de viajar enquanto trabalha e ter novas experiências sem abrir mão da carreira .
Esse estilo de vida tem se tornado ainda mais popular desde o início da pandemia, em 2020, impulsionado pela necessidade de adaptação do mercado de trabalho. De acordo com uma pesquisa feita pelo Booking.com com 20 mil viajantes de 28 países, o termo “bleisure” – que se refere a viagens que misturam negócios e lazer – está cada vez mais popular no Brasil, já que 58% dos brasileiros responderam que vão estender suas viagens de trabalho para aproveitar as folgas e 43% buscam reservar um lugar onde também possam trabalhar.
Além disso, uma pesquisa realizada pelo Grupo Accor em janeiro deste ano constatou que o número de pessoas que procuram outros lugares para trabalhar, sejam hotéis, coworkings ou cafés, passou de 7% para 21% após a pandemia. Os motivos para essa busca variam entre ter uma estrutura de escritório mais adequada, encontrar um ambiente mais agradável para trabalhar e/ou simplesmente sair do ambiente doméstico. Pensando nessa mudança cultural, é preciso que o mercado hoteleiro entenda as principais preferências desse público:
• Estrutura
Um dos principais diferenciais que costumam chamar a atenção dos nômades são as estadias que contam com uma estrutura completa de cozinha equipada, sala e até mesmo lavanderia. Além de garantir mais conforto também é uma forma de economizar, já que é possível preparar suas próprias refeições e não depender de serviços externos para atividades de rotina, como lavar roupas. Para Davi DeCampos, empreendedor do ramo da moda e nômade digital há mais de 5 anos, a prioridade é sempre estar em lugares com acesso à internet e sinal de telefone, mas também acredita ser importante se sentir confortável no local escolhido para a hospedagem além de contar com toda a estrutura necessária.
• Tecnologia
Com o estilo de vida baseado em tecnologia, os nômades digitais buscam estadias que condizem com suas necessidades. Hospedagens que oferecem Wi-Fi de alta velocidade, reservas descomplicadas e check-in e check-out online e flexíveis estão entre os preferidos desse público .
• Localização
Os nômades digitais preferem as grandes cidades e as capitais. Isso porque elas oferecem a infraestrutura necessária para realizar trabalhos remotos e a comodidade de ter diversos serviços ao seu alcance. O principal exemplo no Brasil atualmente é o Rio de Janeiro, a primeira cidade da América do Sul a se tornar um polo do Nomadismo Digital. Além de ser conhecida como a “cidade maravilhosa” e atrair muitos turistas, o Rio também é um dos principais centros econômicos do Brasil.
• Imersão na Cultura Local
Em um artigo publicado em maio de 2020, a pesquisadora Olga Hannonen constatou que os nômades buscam uma imersão na cultura local de cada lugar por onde passam. “Cultura não é só conhecer o museu, a praia ou a rua comercial daquele bairro ou cidade. A essência do lugar você conhece quando vive a realidade local, acredito que o tempo mínimo para conhecer melhor a cultura do país, cidade ou até mesmo do bairro são de pelo menos duas semanas”, conta Anna Mary, educadora física e nômade digital que está há um mês vivendo em Itacaré, na Bahia.
A Casai, startup latino americana de hospedagem inteligente, é um exemplo desse novo mercado hoteleiro voltado para os nômades digitais. Para Luiz Mazetto, diretor geral da proptech no Brasil, a pandemia apenas acelerou uma tendência que já vinha ocorrendo nos últimos anos, o chamado bleisure. “O desenvolvimento de novas tecnologias e a popularização do trabalho remoto só tendem a aumentar o interesse pelo nomadismo digital nos próximos anos e a indústria de turismo deve entender e se adaptar às necessidades desse público”, explica.
Localizados nos melhores bairros das principais capitais do Brasil e México, os apartamentos da Casai oferecem um novo conceito de hospedagem, unindo o conforto de uma casa com as amenidades de um hotel. Além da estrutura completa, toda a experiência é baseada em tecnologia. As unidades são equipadas com Wi-Fi de alta qualidade, smart locks e dispositivos inteligentes e os hóspedes contam com atendimento personalizado em inglês, espanhol e português via concierge digital disponível todos os dias para resolver qualquer problema, dúvidas ou preocupações.
A fim de proporcionar uma experiência completa aos seus hóspedes, a Casai oferece a possibilidade de imersão na cultura local de cada país, cidade ou bairro, tanto por meio dos Neighbors – iniciativa da Casai onde moradores locais fazem recomendações de passeios e experiências pelas cidades que ficam disponíveis no próprio site da startup -, quanto pelo design de cada unidade, que é pensado com elementos especiais que representam um pouco do local onde se está hospedado.

O post Anywhere Office: 4 tendências para o mercado das hospedagens no Brasil apareceu primeiro em Elite Magazine.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.