Após carta, Bolsonaro diz estar ‘pronto para conversar’

Depois de divulgar, nesta quinta-feira, uma carta à Nação em defesa da harmonia entre os Poderes, o presidente Jair Bolsonaro afirmou em sua live semanal que está “pronto para conversar”.

“Estou pronto para conversar, por mais problemas que eu tenha com o presidente da Câmara, Arthur Lira, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o presidente do STF, Luiz Fux e o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso”, afirmou Bolsonaro em transmissão ao vivo nas redes sociais. Na visão do presidente, ele nunca brigou com instituição alguma, mas com “algumas pessoas”.

O chefe do Planalto afirmou ainda que “conversou com muita gente”, incluindo o ex-presidente Michel Temer, que o ajudou na redação da carta à Nação, e o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

“Quero fazer a coisa certa”, disse o presidente. “O dólar caiu e espero que continue caindo amanhã”, acrescentou, em referência aos movimentos do mercado nesta quinta-feira após a carta pela pacificação da crise. A moeda americana acentuou a baixa após a divulgação da carta, fechando o dia em R$ 5,22 no mercado à vista.

Ainda assim, Bolsonaro, durante a live, afirmou que “muita gente” na Praça dos Três Poderes vai começar a agir de forma diferente nos próximos dias. “Se Deus quiser, nos próximos dias teremos frutos desse movimento fantástico do dia 7”, declarou, desprezando o fato de que os atos contaram com manifestações antidemocráticas que levaram à reação do Judiciário.

Em outra insistência de retórica, o presidente ainda reafirmou sua desconfiança sobre as urnas eletrônicas. “Se Barroso anuncia novas medidas para as urnas, é porque elas têm brecha”, declarou.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral anunciou medidas como ampliação do tempo de disponibilização do código-fonte das urnas para partidos e técnicos, como forma de ampliar a segurança da população no sistema eletrônico, cuja lisura é atestada por especialistas.

Novo benefício

Bolsonaro ainda disse que o valor do novo Bolsa Família será de, no mínimo, R$ 300 a partir de novembro, um valor que já estaria acertado com o Ministério da Economia. O benefício receberá o nome de Auxílio Brasil.

O post Após carta, Bolsonaro diz estar ‘pronto para conversar’ apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.