Após perseguição a traficantes, polícia de MS apreende 4 toneladas de maconha vindas do Paraguai: Vídeo

Droga estava sendo transportada em duas caminhonetes; dois homens foram presos e um suspeito conseguiu fugir. Após perseguição, polícia apreende duas caminhonetes com 4 toneladas de drogas
Após mais de quatro horas de perseguição pelas áreas rurais de Terenos e Campo Grande, policiais da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar) apreenderam na tarde desta quinta-feira (9), em uma estrada vicinal da capital-sul-mato-grossense, quatro toneladas de maconha. A droga estava sendo transportada em duas caminhonetes.
Segundo o delegado Hoffman D´Ávila, os policiais chegaram a atirar nos pneus de um dos veículos para obrigar a parada. Entretanto, o motorista desta caminhonete fugiu. Mas o condutor e o passageiro do outro utilitário foram presos.
Conforme a Denar, a apreensão da droga ocorreu após uma investigação conjunta com o serviço de inteligência da Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron). Os policiais receberam a informação de que uma grande quantidade de drogas estava sendo transportada da região de fronteira para a capital e montaram campana em uma estrada vicinal.
A perseguição começou na área rural de Terenos em direção à capital por estradas de terra. Segundo a polícia, o carregamento saiu de Ponta Porã, vizinha a Pedro Juan Caballero, no Paraguai, e seria entregue em Campo Grande.
Números
De janeiro a agosto, deste ano, as polícias de Mato Grosso do Sul apreenderam 530 toneladas de drogas, o que significa aumento de 5% comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram 505,7 toneladas de entorpecentes retirados de circulação.
As maiores apreensões foram realizadas no interior, com 495,7 toneladas de drogas. Em Campo Grande foram apreendidas em oito meses 33,9 toneladas de entorpecentes.
Enquanto o interior teve aumento de 7% nas apreensões de drogas, em Campo Grande foi registrada queda de 23% na quantidade.
Veja mais vídeos de Mato Grosso do Sul:
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.