Aras trai Mendonça e articula para ganhar vaga no STF

André Mendonça e Augusto Aras em tela dividida
Augusto Aras está tentando barrar André Mendonça. Foto: Wikimedia Commons

Augusto Aras traiu André Mendonça. Ao menos é isso que acredita o ex-ministro da Justiça e o que ele vem dizendo a interlocutores. O PGR estaria articulando nos bastidores para ganhar a vaga no STF e atrapalhando ainda mais o colega.

Mendonça está vendo sua vaga para o Supremo derreter depois de todas as crises que o governo Bolsonaro enfrentou. Além de tudo, ele tem um inimigo de peso no Senado, Davi Alcolumbre. O presidente da CCJ resiste em pautar o nome do indicado por Bolsonaro para o STF e isso vem gerando crises.

Mas o ex-ministro ainda trabalha para reverter a situação. Depois das manifestações antidemocráticas, ele chegou a falar com partidos de oposição. Mendonça teria afirmado, segundo apurou o DCM, que não concorda com as frases golpistas de Bolsonaro.

Leia mais:

1 – Neymar e Patrícia Pillar batem boca nas redes por causa de Pelé

2 – Lula empata com Ciro entre manifestantes da direita, diz pesquisa

3 – Bolsonaro derrete em popularidade digital após recuar para STF por atos no 7 de Setembro

Aras derruba Mendonça

A oposição chegou a ficar tentada com as afirmações de Mendonça. Principalmente depois do recuo de Bolsonaro na carta da pacificação, houve momento em que o jogo poderia virar. Poderia, porque aí entrou em cena Augusto Aras.

Ao DCM, uma pessoa ligada a Mendonça afirmou que o candidato ao Supremo acredita que tem um concorrente de peso. Aras estaria, na visão do atual indicado, articulando para que a indicação sequer seja votada. Gozando de prestígio junto aos Senadores, Aras teria conversado com alguns para cobrar o favor.

Com o nome mantido em sigilo, um assessor confirmou que Aras conversou com um senador. Ele estaria articulando barrar Mendonça para ser ele próprio o indicado ao STF, cargo que sempre perseguiu. Na cabeça de Aras, se o concorrente não for indicado, o próximo da fila é ele. E no Supremo, ele continuaria no controle da PGR, já que Bolsonaro provavelmente escolheria um nome dele para substitui-lo.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.