Arroz e feijão: uma dupla saudável e que é a base da alimentação brasileira


Globo Repórter de sexta-feira (24) mostrou os benefícios desses alimentos para a saúde. Banco de grãos e sementes que protege o arroz e o feijão do futuro. Globo Repórter – Arroz e feijão – 24/09/2021
O Globo Repórter de sexta-feira (24) mostrou os benefícios do arroz e do feijão para a saúde. De Norte a Sul do Brasil, arroz e feijão formam uma dupla que é paixão nacional. Em Minas tem o tutu, do tabuleiro da baiana vem o acarajé, feito com feijão fradinho. Arroz com pequi, virado à paulista, feijoada…
Aprenda a fazer receitas inusitadas com arroz e feijão
“A mistura no Brasil é o nosso diferencial, porque como eles são de grupos diferentes, na hora que você junta o cereal com a leguminosa, se complementam e você consegue uma proteína de qualidade muito melhor”, explica a nutricionista Eliana Giuntini.
Corredores do maior banco de arroz e feijão do Brasil
Globo Repórter/ Reprodução
O programa mostrou o banco de grãos e sementes que protege o arroz e o feijão do futuro. Corredores do maior banco de arroz e feijão do Brasil guardam 15 mil variedades de feijão e 30 mil de arroz de várias partes do mundo.
“É uma responsabilidade imensa sermos guardiões da diversidade genética desses dois alimentos que são fundamentais na nossa dieta”, afirma o pesquisador da Embrapa Flavio Brezeguelo.
A ciência também faz o arroz e o feijão virarem bolos, doces e até macarrão. Em uma cozinha experimental da Embrapa são testadas novas possibilidades para o arroz e o feijão. Pesquisadores trabalham para deixar a dupla mais forte e aproveitam até grãos quebradinhos, transformando-os em farinhas nutritivas para evitar o desperdício.
A ciência também faz o arroz e o feijão virarem bolos, doces e até macarrão
Globo Repórter/ Reprodução
Nordestina de 40 anos e moradora do Rio de Janeiro, Regina Tchelly ensina a reinventar o arroz com feijão com receitas estampadas em muros. Tem hambúrguer de arroz, rocambole de feijão…
“Aproveitar alimento é coisa de gente inteligente”, afirma a cozinheira.
Engenheiro de alimentos David Wesley Silva também inovou ao criar o brasileirinho, um biscoito de arroz e feijão: “Ele é menos calórico porque parte do carboidrato do cereal é substituído pelas proteínas do feijão”, explica.
O brasileirinho é um biscoito de arroz e feijão
Globo Repórter/ Reprodução
Brasileiros estão comendo menos arroz com feijão
Durante a pandemia de Covid, muitos brasileiros perderam o emprego. Para piorar, o custo da cesta básica atualmente já consome mais da metade do salário mínimo. De acordo com os estudos do Centro de Pesquisas em Alimentos da USP, em parceria com o Datafolha e o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), os brasileiros estão comendo menos arroz com feijão.
Com a pandemia, teve quem viu na jantinha goiana uma oportunidade. O prato feito de Goiás tem feijão tropeiro, arroz, mandioca cozida, vinagrete e um espetinho para acompanhar. O comerciante Valdeci da Silva Castro vende 100 por dia. Já a microempreendedora Clébia Lima viu no prato uma oportunidade que começar o próprio negócio.
E existe solidariedade em tempos de crise. Em São Paulo, moradores de um condomínio garantem o arroz com feijão de quem vive na rua. Grupo ajuda a alimentar quase mil pessoas por mês.
Grupo ajuda a alimentar quase mil pessoas por mês em São Paulo
Globo Repórter/ Reprodução
Listas de compras dos brasileiros priorizam o feijão
Globo Repórter/ Reprodução
Vários tipos de arroz
Globo Repórter/ Reprodução
Feijoada
Globo Repórter/ Reprodução
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.