Assessor de Biden visita o Egito para falar da Líbia

O assessor de Segurança Nacional de Joe Biden, Jake Sullivan, conversou nesta quarta-feira (29) com o presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi, para promover a realização de eleições na Líbia, país assolado pelas lutas de poder, informou a Presidência egípcia.

O Cairo, grande aliado dos Estados Unidos no Oriente Médio, se consolidou como um ator-chave no cenário regional, tanto na questão palestina quanto na da vizinha Líbia, que desde a queda de Muamar Gadafi em 2011 vive um conflito sangrento.

O Egito recebeu recentemente o homem que controla o leste da Líbia, o marechal Khalifa Haftar, líder do autoproclamado Exército Nacional Líbio (ENL) e possível candidato às eleições presidenciais previstas para 24 de dezembro, assim como seu rival, o primeiro-ministro Abdelhamid Dbeibah.

O Cairo pediu que as eleições legislativas e presidenciais ocorram na data prevista para acelerar o retorno à estabilidade.

Sullivan e Sissi falaram de “organizar eleições” na Líbia, de “retirar as tropas estrangeiras e os mercenários” e de “unificar as forças armadas” do país, disse o porta-voz de Sissi, Basam Radi, em um comunicado.

As eleições líbias estão atualmente ameaçadas, já que o presidente do Parlamento, Aguila Saleh, ratificou uma controversa lei eleitoral que favorece o general Haftar, enquanto o Parlamento da cidade de Tobruk (leste) aprovou uma moção de censura contra o governo.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.