Atos de domingo têm bandeira adotada por supremacistas brancos

Foto: Paula Fróes/ @correio24horas

Bandeiras adotadas por supremacistas brancos foram levadas por manifestantes aos atos contra o presidente Jair Bolsonaro neste domingo (12).

A Bandeira de Gadsen é amarela, tem uma cascavel e os dizeres “don’t tread on me” (“não pise em mim”, em inglês).

O símbolo foi vista em atos em Salvador, na Bahia, e na Avenida Paulista, em São Paulo.

Bolsonaristas e a bandeira supremacista

A bandeira teve sua origem na Revolução Americana.

O desenho foi criado por Christopher Gadsden, um soldado da Carolina do Sul, durante a guerra da independência dos EUA.

Depois, foi adotada pela Ku Klux Klan, pelo extremista Tea Party e finalmente por supremacistas brancos.

No Brasil, a flâmula já apareceu em foto do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Eduardo Bolsonaro e amigos com bandeira usada por supremacistas brancos

O símbolo também é associado ao movimento anarcocapitalista, que prega uma sociedade sem Estado onde todas as interações humanas seriam reguladas pelo mercado.

Leia mais:

1 – Advogado de Chico Buarque rebate governador do RS que chamou processo de “distorcido”

2 – Frota: “Acho difícil trazer a esquerda falando ‘nem Lula nem Bolsonaro’”

3 – Na Paulista, ato do MBL tem pixuleco de Lula e Bolsonaro abraçados

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.