Bloqueios em rodovias de SC afetarão abastecimento de gás natural? Entenda

SCGás se pronunciou sobre o tema no fim da tarde desta quinta-feira (9); situação entre gás natural e GLP possui diferenças

Em nota oficial nesta quinta-feira (9) a SCGás (Companhia de Gás de Santa Catarina) informou que o abastecimento com gás natural no Estado não foi prejudicado pelos bloqueios realizados por grupos de caminhoneiros desde a última terça-feira (7).Bloqueios não afetarão abastecimento de gás natural em rede – Foto: Divulgação/NDBloqueios não afetarão abastecimento de gás natural em rede – Foto: Divulgação/ND

Ao todo a companhia abastece 325 indústrias, 660 estabelecimentos comerciais, cerca de 17 mil residências e 129 postos de combustíveis em Santa Catarina.

Entre os 138 postos atendidos pelo GNV (Gás Natural Veicular) em todo o Estado, nove são abastecidos pelo GNC (Gás Natural Comprimido) e, eventualmente, segundo a empresa, poderão ser afetados. Nessa alternativa de abastecimento, o gás natural é retirado da rede e transportado via caminhão até os postos.

A distribuidora monitora também o abastecimento da cidade de Lages, que possui sua rede local e isolada abastecida pelo GNC, a partir de Indaial.

Diferenças

O gás natural, chamado também de gás de rua, é um gás composto por hidrocarbonetos que permanecem em estado gasoso nas condições atmosféricas normais. É trazido por meio de tubulação enterrada na rua.

“A SCGás distribui gás natural, que é encanado, sendo assim a paralisação não afeta o abastecimento”, explicou a companhia ao ND+.https://efa6bc1a6d22200efed67c8046cb7328.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), popularmente conhecido como gás de cozinha, é resultado da separação das frações mais leves do petróleo durante o refino. No condomínio, esse gás chega armazenado em recipientes próprios (cilindros) instalados em área determinada e alcança a residência através de uma tubulação.

GLP em SC

De forma lenta, a distribuição e o abastecimento de gás de cozinha em Santa Catarina se encaminha para a normalização nesta quinta-feira.

Segundo o presidente executivo do Sinregás/SC (Sindicato dos Revendedores de Gás), Jorge Magalhães de Oliveira, algumas carretas já foram carregadas, no final da manhã desta quinta, em Araucária (PR).

O Estado é abastecido com o GLP que vem da cidade paranaense e de Canoas (RS), já que não há produção local. “Assim, já começam a receber com normalidade a partir desta tarde”, explica o presidente. Os revendedores do Norte do Estado, localizados mais próximos do Paraná, tendem a receber o gás antes.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.