Calorão: BH registra 34,8º nesta sexta (10/9) e quase atinge recorde

Em questão de dias, os cobertores deram lugar às roupas mais confortáveis e o café quente foi substituído pelo sorvete. A onda de calor que tomou conta de Belo Horizonte em pleno inverno por pouco atingiu seu ápice nesta sexta-feira (10/9), quando os termômetros registraram 34,8ºC durante a tarde. 
 
 
A temperatura, no entanto, não superou os 35ºC de segunda-feira (6/9), apontado pelos meteorologistas como o recorde do ano. 
 
A partir deste sábado (11/9), no entanto, o calor pode ter uma trégua, quando os termômetros devem registrar temperaturas um pouco menores.
 
Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o panorama começa a mudar já nesta madrugada de sexta para sábado. Ao longo do dia, nuvens começarão a surgir indicando a possibilidade de chuvas, o que aumentará a umidade relativa do ar. Apesar disso, os ventos serão fracos e moderados.
Neste sábado, os termômetros ficarão entre 20ºC e 34ºC, com umidade de 70%. A partir de domingo, a mínima cai para 19ºC e a máxima, 32ºC. A partir de terça-feira (14/9), a umidade chegará a 80%, nível considerado ideal no processo de purificação do ar.
Há previsão de chuvas também para o Sul do estado, Campo das Vertentes, Zona da Mata, Triângulo, Central e Oeste, durante todo o fim de semana. 
“Esse aumento da temperatura já é uma onda de calor que atua há 20 dias no nosso estado. A temperatura aumentou ainda mais em virtude da circulação de frente fria que veio do Sul do Brasil. E ela já atua em municípios da Zona da Mata, Sul de Minas e também no litoral do Rio de Janeiro”, explica o meteorologista do Climatempo, Ruibran dos Reis. 
Ele explica que o excesso de calor no início de setembro se deve ao encontro das massas de ar: “Esse choque do ar quente com o ar frio acaba por reduzir a temperatura. É como se fosse uma contenção de ar”.
A possibilidade de chuva no fim de semana pode ser um alento para o controle de incêndios florestais e também nas áreas urbanas. Desde o início de agosto, todo o estado tem sofrido com o aumento das queimadas, com mais de dois mil focos, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). 
“Temos possibilidades de chuvas isoladas na Região Metropolitana a partir de domingo. Com a passagem da frente fria, surgirão ventos mais fortes, o que causa a queda da umidade. Logo, cai também a temperatura”, explica Ruibran. 
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.