Chefe de campanha de vacinação no Japão entra na disputa para liderar o partido no poder

O encarregado da campanha de vacinação contra a covid-19 no Japão, Taro Kono, ex-ministro das Relações Exteriores e da Defesa, anunciou nesta sexta-feira (10) que se lançará à disputa para ser líder do governante Partido Liberal Democrático.

Kono, uma das figuras políticas mais conhecidas do país, é um dos favoritos para suceder o primeiro-ministro Yoshihide Suga, que disse que não buscará continuar como líder do partido.

Quem ganhar a eleição de 29 de setembro vai liderar o partido nas eleições gerais de outubro ou novembro.

“O Japão pode parecer que está parado enquanto outros países tentam avançar ativamente. Talvez o Japão estivesse em uma posição de liderança, mas infelizmente agora não estamos à frente”, disse.

Kono afirmou que deseja fomentar a capacidade tecnológica do Japão com redes inteligentes e 5G, além de atacar a burocracia governamental, a qual acusa de atrasar a vacinação.

O ministro de 58 anos, que teria o apoio de Suga, deve enfrentar ao menos dois adversários: o ex-ministro das Relações Exteriores, Fumio Kishida, e a militante do partido Sanae Takaichi.

Kono é um político com experiência que dirigiu a diplomacia japonesa entre 2017 e 2019, um período de deterioração das relações com a Coreia do Sul.

Depois, ficou encarregado da pasta da Defesa, quando descartou a implantação de um sistema de mísseis de defesa caro e polêmico.

Graduado na universidade americana de Georgetown, Kono fala inglês com fluência e é ativo no Twitter, onde usa memes e costuma se comunicar diretamente com seus 2,3 milhões de seguidores.

Mas também tem fama de ser desagradável e foi criticado por bloquear pessoas no Twitter.

Kono defende os esforços para digitalizar o Japão e eliminar o uso de fax e selos de tinta na burocracia. Sua nomeação como chefe da campanha de vacinação o transformou em uma das figuras mais conhecidas na resposta à pandemia.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.