China pede a setor de videogames para não estimular ‘afeminação’ nem vício

Os reguladores do setor de videogames na China pediram às empresas Tencent e NetEase que mostrem menos obsessão por lucros, suprimam conteúdo que possa estimular a “efeminação” dos homens e que promovam medidas para controlar a dependência dos mais jovens.

Recentemente, as regras para esse lucrativo mercado ficaram mais severas na China e, na quarta-feira, os CEOs da Tencent e da NetEase foram convocados pelos reguladores do setor.

Horas depois, na noite de quarta-feira, a agência de notícias oficial Xinhua publicava as conclusões desta reunião.

As duas empresas receberam a ordem de “romper com o objetivo único de gerar lucros e modificar as regras que podem criar uma dependência”. O governo também pediu às empresas que “apliquem ao pé da letra” as normas sobre tempo de jogo para menores de 18 anos.

Para combater a dependência dos mais jovens, a China estabeleceu em agosto que os menores de idade não podem jogar mais do que três horas por semana. E uma hora por dia apenas nos fins de semana e durante as férias escolares.

Os videogames na China geraram um faturamento de 17 bilhões de euros (20 bilhões de dólares) no primeiro semestre deste ano.

No país, há crianças que podem passar dias inteiros sem se afastarem das telas. Esse fenômeno é cada vez mais criticado por causar perda de visão, gerar um impacto negativo nos resultados escolares, promover um estilo de vida sedentário e causar um verdadeiro risco de dependência.

“O conteúdo obsceno e violento, assim como aqueles que favorecem tendências doentias, como o culto ao dinheiro e à efeminação, devem ser suprimidos”, disseram os reguladores, citados pela agência de notícias Xinhua.

Na semana passada, o governo chinês proibiu alguns reality shows e ordenou que os organizadores estimulem uma imagem mais masculina dos homens.

Diante da queda da natalidade no país, a China critica o estilo afeminado de alguns homens famosos, inspirado principalmente em cantores coreanos.

Nesta quinta-feira (9/9), as ações da Tencent perdiam 6,65% na bolsa de Hong Kong, e as de seu concorrente NetEase, 6,84%.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.