Copasa analisa documentos da Vale que estão em acordo para evitar falta d’água na Grande BH


Propostas fazem parte de aditivo ao Termo de Compromisso Água, firmado em julho de 2019 por causa da ameaça das barragens em emergência que, se romperem, podem afetar os rios das Velhas e Paraopeba. O Rio das Velhas entrou em estado de alerta na região de Honório Bicalho, distrito da cidade de Nova Lima, na Região Metropolitana
Bianca Aun
A Companhia de Abastecimento de Minas Gerais (Copasa) analisa documentos enviados pela Vale, determinados pelo aditivo ao Termo de Compromisso Água, assinado com o Ministério Público em agosto deste ano. Ele formaliza novas medidas que deverão ser adotadas pela mineradora para evitar crise hídrica na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
Rio das Velhas entra em estado de alerta por causa da seca na Grande BH, diz Comitê
Copasa confirma situação crítica do Rio das Velhas, na Grande BH, e reduz captação
O termo foi firmado em julho de 2019 por causa da ameaça das barragens em emergência que, se romperem, podem afetar os rios das Velhas e Paraopeba. Já o aditivo foi assinado com a interveniência da Copasa, do governo de Minas Gerais, da empresa de engenharia Aecom e da mineradora Anglogold.
Há três barragens da Vale com iminência de rompimento em Minas Gerais. Uma delas é a B3/B4, em Macacos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
O aditivo acrescenta medidas às já previstas pelo termo. Segundo o MP, o documento foi apresentado na última sexta-feira (3) e está sob análise da Copasa.
Em agosto, a Copasa confirmou a situação crítica do Rio das Velhas e afirmou que, por causa disso, estava reduzindo a captação no ribeirão.
Segundo a Vale, as ações têm objetivo de garantir o abastecimento dos municípios que podem ser impactados caso haja suspensão da captação da Estação de Tratamento de Água Bela Fama, localizada no Rio das Velhas.
De acordo com o Ministério Público, entre as obrigações estão a implantação de poços tubulares para abastecimento emergencial de parte de Sabará, com vazão média de 200 litros por segundo, mesma vazão ofertada pela ETA Bela Fama.
O aditivo também prevê a construção de novo sistema de captação na barragem de Cambimbe, que está na propriedade da AngloGold Ashanti.
Além disso, o aditivo prevê a construção de alternativas para clientes prioritários, como hospitais e unidades prisionais e implantação de pontos para abastecimento de caminhões-pipa.
Vídeos mais assistidos no G1 Minas nos últimos 7 dias:
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.