Corpo do vereador Quinzé é enterrado em Duque de Caxias, RJ

Joaquim José Santos Alexandre (PL) foi assassinado na noite de domingo (12). A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) investiga se a morte teve motivação política. Vereador de Caxias (RJ) assassinado é enterrado
O corpo do vereador Joaquim José Santos Alexandre (PL), conhecido como Quinzé, assassinado na noite de domingo (12), foi enterrado nesta segunda-feira (13) no cemitério Nossa Senhora das Graças, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) investiga se a morte teve motivação política. Com 66 anos, Quinzé era sargento reformado da PM e atuava como líder comunitário do bairro Olavo Bilac. Ele deixa esposa e quatro filhos.
Quinzé estava no terceiro mandato como vereador de Caxias. Em 2020, ele foi eleito com 2.364 votos, e fazia parte da base do prefeito Washington Reis (MDB). No lugar dele, assume Elson da Batata (PL).
“Perda muito grande, era um homem honrado, um vereador de alguns mandatos. A família está muito abalada, a Câmara está abalada, a cidade está abalada”, disse o presidente da Câmara de Vereadores de Duque de Caxias, o vereador Celso do Alba (MDB).
O prefeito de Caxias não participou do enterro porque estava em São Paulo cumprindo uma agenda com o ex-presidente Michel Temer.
O assassinato
O vereador morreu baleado na Avenida Estácio de Sá, em São João de Meriti. Segundo testemunhas, ao descer do carro para visitar uma amiga, Quinzé foi atingido por disparos feitos de dentro de um carro branco, que estava estacionado perto do local.
Um vídeo mostra pessoas tentando socorrer o vereador logo após o crime. A Polícia Militar diz que, quando chegou no local, Quinzé já estava morto.
Ele levou três tiros, dois no peito e um na mão. Os assassinos não levaram o carro, apenas a arma do vereador.
Quinzé já havia sido condenado a quatro anos e seis meses de prisão por porte de arma ilegal, por ter uma pistola nove milímetros não registrada.
Outro vereador morto
Quinzé é o segundo vereador eleito em 2020 a ser assassinado. Em março deste ano, Danilo Francisco da Silva (MDB), o “Danilo do Mercado” , foi morto na Praça Jardim Primavera, em Caxias. O filho dele, Gabriel da Silva, de 25 anos, também morreu no local.
Danilo era investigado pela DHBF como suspeito de ser o mandante de assassinatos em Duque de Caxias em 2020.
O presidente da câmara disse que vai pedir o apoio da polícia militar.
A Polícia Civil afirma que o caso da morte do vereador Danilo do mercado ainda está em investigação para identificar os autores do crime.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.