“É uma vergonha para a classe política”, critica Marlina sobre operação do Gaeco em Brusque

Durante a sessão ordinária desta quinta-feira, 9, a vereadora Marlina Oliveira Schiessl (PT) falou sobre a operação de buscas e apreensões realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em casas de políticos de Brusque. Conforme a vereadora “é uma vergonha para a classe política, algo que precisa ser repercutido e trazido à consciência da população”. A ação do Gaeco é um desdobramento da investigação sobre um suposto esquema de “rachadinhas” no âmbito da Prefeitura.

Na opinião da Marlina, é necessário que os vereadores cobrem posicionamento firme do poder executivo. Além disso, ela afirma que existem apontamentos que fazem com que o caso seja apurado com mais firmeza e que os suspeitos devem ser afastados dos seus cargos.

Ela também relembra que o legislativo já abriu comissões parlamentares de inquérito (CPIs) em casos de menor gravidade. Em sua opinião, “não podemos agir com inércia, de maneira vagarosa.” e chamou a atenção dos demais vereadores ao esquema de ‘rachadinha’.

Leia também:

Motociclista morto em acidente na BR-470 é identificado;
Covid-19: SC zera imposto de medicamentos do kit intubação;
Confira atualização do boletim da Covid-19 em Brusque nesta sexta-feira.


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

The post “É uma vergonha para a classe política”, critica Marlina sobre operação do Gaeco em Brusque appeared first on O Município.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.