• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

    Social - Repositório

Por que o Litoral Norte de SC não foi afetado pela onda de calor que atingiu o país?

A onda de calor que atinge boa parte do país virou assunto em alta e tem feito moradores de diversas regiões investirem urgentemente em ventiladores e ar-condicionados. No Litoral Norte de SC, contudo, ainda que as temperaturas estejam elevadas, tudo parece estar mais “sob controle”.

Calor registrado no restante do país não foi tão forte no Litoral Norte

Tendência é de queda nas temperaturas nos próximos dias, afirma meteorologista – Foto: Marcos Porto/Secom

De fato, o meteorologista do Laboratório de Climatologia da Univali, Sergey Araújo, afirma que até o momento, o mês de novembro registrou temperaturas 0,1°C acima da média histórica na região.

Em outubro, por conta das chuvas constantes e maior nebulosidade, Itajaí teve temperatura média com desvio negativo de 0,1°C. Ao longo do ano, porém, a maior parte dos meses registrou temperaturas acima do previsto.

“Nesse ano, se considerarmos as temperaturas médias para Itajaí, até esse mês, tivemos 9 meses com temperaturas acima da média e dois abaixo. O mês com maior desvio positivo foi setembro com 3,1°C. Já em abril tivemos o maior desvio negativo com 0,4°C abaixo da média histórica”, destaca.

Onda de calor está relacionada com as chuvas?

Sergey explica que o calor e a umidade favorecem as chuvas convectivas, conhecidas popularmente como “pancadas de verão”, fenômeno que vem ocorrendo na região. O El Niño é um dos responsáveis pelas chuvas, assim como pela onda de calor.

“Presença do El Niño, muito calor e umidade vinda da parte norte do país e a passagem de sistemas frontais e alguns bloqueios atmosféricos contribuíram e contribuem para nossas chuvas volumosas e persistentes”, detalha.

Novembro terminará com chuva acima da média (150mm), e mais chuva é esperada para os próximos dias. A previsão aponta volumes de até 110mm para os próximos 10 dias, em média, com modelos mais econômicos acima de 70mm e mais extravagantes ultrapassando os 170mm.

Contudo, o calorão do restante do país não seguirá por aqui. Por conta da passagem de uma frente fria e entrada de uma massa de ar polar, além de maior nebulosidade, as temperaturas ficam mais baixas a partir desta quinta-feira (23).

As mínimas devem ficar entre 16/20°C e máximas entre 21/27°C. Já o mês de novembro terminará com calor, acima dos 30°C. Já para dezembro e janeiro, os modelos climáticos apontam temperaturas na média e acima da média, em torno de 1 a 1,5°C acima do habitual.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.