• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

    Social - Repositório

Homem é condenado a prisão por assassinato que chocou Piçarras em 2021

Meirisson de Moura foi condenado no Tribunal de Justiça de Santa Catarina a 15 anos de prisão pelo assassinato de Débora Custódio de Arruda, ocorrido em Balneário Piçarras em 2021. Outros dois suspeitos pelo crime, Gabriel Franchak de Nigris e Adriano Maciel, também foram julgados, mas absolvidos.

Retrado de Débora Custódio Arruda, vítima de assassinato em Piçarras em 2021

Assassinato de Débora Custódio Arruda chocou Piçarras, cidade onde ela morava – Foto: Reprodução/Internet/ND

A moradora do município do Litoral Norte foi dada como desaparecida em 6 de maio daquele ano, até ter seu corpo encontrado em Joinville, dois meses depois. O autor admitiu a ter estrangulado à Polícia Civil e a levado até o Norte Catarinense.

Tanto ele quanto os dois suspeitos foram acusados pelo crime de latrocínio – roubo seguido de morte – com ocultação de cadáver como qualificadora. A tese, no entanto, foi rejeitada, pois não ficou evidente intenção de se apropriar de qualquer bem da vítima.

Gabriel e Adriano estavam no carro onde ocorreu o fato e pelo qual o corpo foi transportado. No entanto, foram absolvidos de participação no assassinato pelo Tribunal de Justiça do Estado. Meirisson, por sua vez, foi condenado por homicídio qualificado.

Parte traseira de uma viatura da Delegacia de Homicídios da Polícia Civil, que investigou caso de assassinato em Balneário Piçarras

Delegacia de Homicídios da Polícia Civil investigou o caso de assassinato em Balneário Piçarras – Foto: Polícia Civil/Divulgação/ND

Acusados de assassinato procuraram ‘ajuda’ no Paraná

Logo após o assassinato, o trio abandonou o corpo em Joinville e buscou atendimento em uma clínica de reabilitação de dependentes químicos na cidade de Guaratuba, no Paraná. Lá, Meirisson teria se arrependido.

Ele contou o acontecido para um pastor, que o levou até a delegacia, onde confessou o delito e o transporte do corpo. Naquela época, não soube dizer a localização exata de onde havia deixado Débora.

Imagem panorâmica de Guaratuba, no Paraná, para onde os suspeitos pelo assassinato de Débora Custódio Arruda teriam fugido

Réus foram até Guaratuba, no Paraná, após assassinato em Piçarras. – Foto: Divulgação/Prefeitura de Guaratuba

As polícias Militar e Civil, bem como o IGP (Instituto Geral de Perícias) foram acionadas para a averiguação do assassinato, e o caso foi investigado pela Delegacia de Homicídios.

O ND+ não conseguiu contato com a defesa de Meirisson de Moura, mas deixa o espaço aberto caso desejem comentar sobre o caso e os procedimentos que serão tomados após a condenação.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.