• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

    AGÊNCIA JF | Social - Repositório

‘Deusa do sol’: raio misterioso e ultrassônico é detectado em direção à Terra

Uma recém-descoberta de uma partícula cósmica, batizada de Amaterasu, em homenagem à deusa japonesa do sol, tem intrigado os cientistas ao redor do mundo. Essa partícula é agora considerada um dos raios cósmicos de maior energia já detectados, segundo informações de pesquisadores.

Imagem do raio, com várias luzes em um céu escuro

Impressão artística do raio cósmico detectado – Foto: Osaka Metropolitan University/Kyoto Uni/Reprodução/ND

A Amaterasu possui uma energia surpreendente, registrando mais de 240 EeV (exa-elétron-volts). Apesar de seu feito notável, ela fica em segundo lugar na história registrada, atrás da partícula Oh-My-God, que foi detectada em 1991 com 320 EeV de energia.

As origens desta partícula intrigante permanecem desconhecidas, mas os especialistas acreditam que apenas eventos celestes extremamente poderosos, superando até mesmo explosões estelares, têm o potencial de criá-las.

O professor Toshihiro Fujii, da Universidade Metropolitana de Osaka, expressou surpresa inicial com a descoberta, sugerindo que “deve ter havido um erro” quando a partícula foi identificada pela primeira vez.

Ele destacou que a Amaterasu exibiu um nível de energia sem precedentes nas últimas três décadas.

O mistério se aprofunda à medida que os cientistas não conseguem identificar uma fonte específica para a Amaterasu.

O professor John Matthews, da Universidade de Utah, afirmou que, diferentemente dos raios cósmicos convencionais, não há nada na área com energia suficiente para ter produzido esse evento extraordinário.

Raio parece ter vindo do Vazio

A partícula parece ter emergido do Vazio Local, uma região vazia do espaço na fronteira com a Via Láctea.

O professor Matthews enfatizou que, normalmente, seria possível rastrear a origem dessas partículas, mas, neste caso, não há nada com energia alta o suficiente para explicar a Amaterasu.

Imagem mostra os detectores em Utah

Detectores de superfície Telescope Array em Utah – Foto: Nola Taylor Redd/Reprodução/ND

O observatório Telescope Array, localizado em Utah, foi o responsável pela detecção dessa partícula única.

Os cientistas agora esperam que a descoberta da Amaterasu abra caminho para investigações adicionais que possam esclarecer os raios cósmicos de energia ultra-alta e sua origem misteriosa.

Especialistas sugerem que esta descoberta pode indicar uma deflexão magnética incomum, uma fonte não identificada no Vazio Local ou até mesmo uma compreensão incompleta da física de partículas de alta energia.

O professor John Beltz, também da Universidade de Utah, expressou seu espanto diante da situação, admitindo que está “cuspindo ideias malucas” para tentar explicar o mistério.

Ele levanta a possibilidade de defeitos na estrutura do espaço-tempo ou colisões de cordas cósmicas, embora ressalte que “não há uma explicação convencional” até o momento.

*Com informações do portal Sky News

Adicionar aos favoritos o Link permanente.