Empresas de ônibus de BH têm 30 dias para apresentar ‘plano de recomposição de frota’


Determinação se deve ao aumento da flexibilização na cidade e, consequentemente, da demanda. Levantamento feito pelo G1 mostra que o número de novos passageiros nos ônibus não acompanha o de viagens acrescentadas Ônibus cheio durante a pandemia em BH
Reprodução/ TV Globo
As concessionárias de ônibus de Belo Horizonte deverão apresentar à BHTrans, em até 30 dias, um plano de recomposição da frota, considerando o processo de reabertura de atividades econômicas na cidade. A determinação está prevista em decreto Nº 17.709, publicado no Diário Oficial do Município neste sábado (11).
Nas últimas duas semanas, o G1 mostrou que o número de novos passageiros nos ônibus não acompanha o de viagens acrescentadas. Entre 16 a 27 de agosto, houve um aumento de 5.067 usuários atendidos, mas apenas 49 novas viagens.
Enquanto o aumento de usuários foi de 0,7%, o de viagens foi de apenas 0,2%. Isso significa que o total de passageiros cresceu em um ritmo 3,5 vezes maior do que o de viagens oferecidas.
Já entre 30 de agosto a 3 de setembro, o total de usuários aumentou 2,5%, enquanto o de viagens só cresceu 0,3% , um ritmo cerca de 8 vezes menor. Foram 19.845 novos passageiros de uma semana para a outra e apenas 65 viagens acrescentadas
Os dados foram extraídos da planilha de acompanhamento da demanda de passageiros e oferta de viagens no sistema de transporte coletivo de BH durante a pandemia, publicada semanalmente pela própria BHTrans desde 2020.
No decreto publicado neste sábado, há a determinação para que o plano de recomposição de frota seja atualizado mensalmente pelas empresas, de acordo com a projeção de demanda do mês seguinte.
Ainda de acordo com o decreto, caso as concessionárias estejam atuando em regularidade com plano aprovado pela BHTrans e utilizando ao menos 90% da frota disponível por faixa horária, ficam suspensas determinações anteriores, que são: redução do número de passageiros em cada viagem em relação aos limites contratuais; disponibilização de carros reserva; intervalos entre viagens de no máximo 30 minutos em horário de pico e 40 minutos fora dos horários de pico.
Vídeos mais assistidos no G1 Minas nos últimos 7 dias:
O que dizem os envolvidos
Em nota, a BHTrans informou que “solicitou aos consórcios a revisão completa dos quadros de horários e incremento de viagens” e que a avaliação será feita pela própria autarquia ao longo deste mês. Alegou, ainda, que vem intensificando a fiscalização dos descumprimentos das regras sanitárias em coletivos.
O Sindicato das Empresas de Transporte de Belo Horizonte (Setra-BH), que representa os consórcios responsáveis pela programação e execução de viagens, diz que “mesmo diante de toda a crise, o sistema está ofertando 75% das viagens de antes da pandemia, para transportar 65,84% da demanda”.
Ressalta, ainda, que antes da pandemia a média de passageiros por viagem era 49 passageiros por viagem, o que sequer é permitido pelo decreto em vigor, enquanto atualmente está em 43.
Segunda semana seguida
É a segunda vez consecutiva que os dados mostram um descompasso entre o total de novos passageiros e o de novas viagens. Na semana passada, entretanto, o problema era menor: o crescimento de usuários cresceu em um ritmo 3,5 vezes maior que o de viagens acrescentadas.
Na ocasião, entre 16 e 27 de agosto, houve um aumento de 5.067 usuários atendidos, mas apenas 49 novas viagens.
Vídeos mais assistidos G1 MG
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.