Enfermeira de Cabo Frio, RJ, é selecionada para Encontro Científico Internacional de Ozonioterapia


Terli Faria desenvolveu uma pesquisa experimental do uso da ozonioterapia em pacientes com a Covid-19 e com dores osteomusculares. Encontro acontece neste fim de semana e vai premiar melhores estudos. Uma profissional de saúde de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, está participando de um encontro científico internacional que aborda o uso da ozonioterapia em tratamentos complementares. O evento acontece desta sexta-feira (10) até o domingo (12), de forma on-line, e vai premiar os melhores estudos sobre o tema.
Terli Faria é enfermeira pós-graduada em ozonioterapia
Arquivo pessoal
Enfermeira pós-graduada em ozonioterapia, Terli Faria desenvolveu uma pesquisa exploratória e experimental com 120 pacientes, 62% do SUS, utilizando a ozonioterapia no tratamento complementar da Covid-19 e de dores osteomusculares.
Com os pacientes infectados pelo novo coronavírus, o tratamento complementar foi feito por meio da ingestam e da nebulização, segundo Terli.
“Os pacientes utilizaram o óleo ozonizado em casa, através da ingesta e da nebulização com óleo ozonizado. Tivemos muitos relatos com melhora imediata da disposição, da tosse e da saturação”.
Um dos relatos é de Leonardo dos Santos, de 42 anos, que teve Covid-19 em abril deste ano. De acordo com Leonardo, ele tentou atendimento no hospital, mas não conseguiu vaga. Foi quando procurou uma consulta on-line com um infectologista e conheceu o tratamento complementar com ozônio.
“Desde que comecei o tratamento com o ozônio, eu senti uma grande evolução respiratória. Antes de começar a nebulização eu estava com uma saturação que variava entre 78 e 80, e depois da nebulização a saturação sempre aumentava, chegando a 87, 91. Foi evoluindo dia a dia. Fez muito bem pra mim como tratamento complementar”, contou Leonardo.
A ozonioterapia é uma prática de saúde que utiliza o ozônio com finalidades terapêuticas.
Terli explica que o ozônio é formado por meio de uma descarga elétrica na molécula de oxigênio (O2), desta forma é formada a molécula triatômica do ozônio (O3). A molécula triatômica instável tem grande poder oxidativo e auxilia o corpo a responder por meio do próprio sistema antioxidante, segundo a enfermeira.
“O ozônio tem um efeito germicida, ajuda no detox do corpo, ajuda o sistema antioxidante a trabalhar melhor. A ozoneoterapia é um tratamento complementar. Ela tem diversos benefícios, auxiliando em mais de 250 doenças e é usado em várias patologias. Nesse trabalho, que eu apresento essa pesquisa, eu mostro os resultados do tratamento”, disse Terli.
O trabalho de Terli foi apresentado na noite desta sexta-feira. De acordo com a enfermeira, o objetivo do envio da pesquisa para o III Encontro Científico Internacional de Ozonioterapia é aperfeiçoar a técnica para que cada vez mais a ozonioterapia ganhe força no país.
“Me sinto agraciada e feliz pela oportunidade de apresentar um trabalho pioneiro em toda a nossa região”
Após o Encontro Científico, a pesquisa se transformará em um artigo científico.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.