Filha que presenciou morte de médico em assalto fala sobre prisão de suspeito: ‘Tenho pesadelo com o olhar dele’


Jovem de 21 anos foi detido mais de um mês após o crime, ao ser flagrado roubando com um comparsa em Guarujá. Família de Tatuí (SP), que presenciou o latrocínio, deve ir ao litoral para reconhecer o suspeito. Médico de Tatuí atuava na linha de frente do combate à Covid-19
Arquivo pessoal
Uma das filhas do médico infectologista Rodolfo Enrique Postigo Castro, que morreu durante um assalto em uma praia de Guarujá, falou ao G1 sobre o sentimento da família de Tatuí (SP) após a prisão do segundo suspeito do crime.
O jovem de 21 anos suspeito de atirar contra o médico foi preso na noite desta quarta-feira (8) após ser flagrado roubando com um comparsa. Ele foi localizado na comunidade conhecida como Areião, em Guarujá. O outro suspeito do crime, de 17 anos, foi apreendido no dia 5 de agosto.
Paloma Postigo, a filha de 24 anos do médico, contou que a família soube da prisão do jovem ainda nesta quarta (8), por meio da ligação de um investigador da Polícia Civil do litoral.
“É um sentimento de alívio. A gente não pode dizer que é de felicidade, mas de alívio, de saber que pelo menos a Justiça vai ser feita, sabe? Mesmo eu ainda achando que a pena que ele vai pegar, mesmo se for a máxima, vai ser pouco pelo que ele fez, de certa forma tira um peso das nossas costas”, desabafa a jovem.
“Além da injustiça feita com meu pai, esse indivíduo é muito violento. Ontem ele foi pego roubando de novo, mesmo depois de ter feito tudo, matado meu pai. Então a sociedade vai ficar livre dele por algum tempo.”
Suspeito foi preso em Guarujá, SP, após ser flagrado roubando
Luciana Moledas/G1
Segundo a Polícia Civil, o pai de Paloma foi abordado por duas pessoas no dia 31 de julho no píer da praia do Perequê. Os criminosos roubaram objetos e atiraram duas vezes, atingindo o infectologista no peito.
Paloma, seu irmão de 17 anos e a namorada do adolescente presenciaram o crime. A esposa do médico, a enfermeira Magda Aparecida Codogno, também estava no local e ajudou a realizar os primeiros socorros no marido, que não resistiu.
Médico morto em assalto comemorava formatura da filha em direito em viagem com família (Tatuí)
Arquivo pessoal
Nesta quinta-feira (9), o delegado titular da Delegacia Sede de Guarujá, Sérgio Lemos Nassur, disse que o jovem de 21 anos assumiu a autoria do disparo que matou o médico. Segundo a polícia, ele alegou que o tiro foi acidental, “em função de seu extremo nervosismo com a situação”.
Agora, a família de Tatuí deve ir até Guarujá para reconhecer o homem que foi preso. Apesar do receio de voltar ao litoral e reviver a cena do crime, a filha Paloma disse que quer fazer sua parte para colaborar com as investigações.
Infectologista de Tatuí foi morto enquanto viajava com a família ao Guarujá
Arquivo pessoal
“A gente está bem aflito porque a gente sabe que vai ser um sentimento muito forte porque é como se uma parte de nós revivesse tudo o que aconteceu naquele dia. Então, a gente está se preparando psicologicamente porque a gente sabe que vai ser muito difícil, mas a gente tem que fazer nossa parte para a sociedade”, conta.
“E eu lembro bem do rosto, da voz dele. Eu guardo o olhar dele, de raiva, na cabeça. Eu tenho pesadelo com o olhar dele, com a voz, então são coisas que eu consegui marcar bem na minha cabeça”, continua Paloma.
Viagem de comemoração
Médico é baleado e morto na frente da família durante assalto no litoral de SP
A família do médico tinha viajado para Guarujá em julho para comemorar a formatura de Paloma em direito, e também o aniversário dela e do médico.
A esposa Magda contou ao G1 que foi a primeira vez que a família viajou durante a pandemia de coronavírus, para que Rodolfo pudesse se afastar um pouco da rotina pesada que mantinha em Tatuí e Itapetininga, onde atendia pacientes com Covid-19.
O crime ocorreu um dia depois que a família chegou ao litoral, quando o casal, os filhos e a nora foram almoçar em um restaurante na Praia do Perequê. O médico foi abordado momentos depois de sair do estabelecimento, ao parar com a família para tirar foto da paisagem.
“Primeiro o bandido deu um tiro na água, falando: ‘você não acredita que é de verdade?’. Depois eu entreguei tudo que ele queria, até tirei o cordão do meu pai porque acho que ele estava em choque, não sabia o que fazer. Depois que eu dei tudo, o assassino deu um tiro no coração dele, foi cruel mesmo”, lembra a filha Paloma.
Família de Tatuí foi assaltada no Guarujá
Arquivo pessoal
Depois da morte do médico, pacientes e colegas de trabalho encheram as redes sociais do infectologista com depoimentos de pesar. A esposa também contou que recebeu muitas mensagens de carinho dos moradores de Tatuí.
“Acho que toda família de Tatuí teve alguém atendido esse ano pelo Rodolfo. Eu estou recebendo na caixinha do correio muitas cartinhas de paciente, oração. Eu recebo todo dia mensagens de solidariedade, então isso conforta um pouco a gente, saber que ele salvou tantas vidas.”
Médico que morreu no Guarujá morava com a família em Tatuí
Arquivo pessoal
Veja mais notícias no G1 Itapetininga e Região
VÍDEOS: assista às notícias da TV TEM
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.