Frota diz ao DCM que foi convidado por Gleisi para o ‘Fora Bolsonaro’ organizado pelo campo progressista

Frota participa de ato contra Bolsonaro na avenida Paulista
Frota: “Acho difícil trazer a esquerda falando ‘nem Lula nem Bolsonaro’”. Foto: Divulgação

O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) conversou neste domingo com Gleisi Hoffamann. A presidente nacional do PT o convidou para os atos contra Bolsonaro que estão agendados pelo campo progressista para acontecer em 2 de outubro.

“Você é meu convidado”, disse Gleisi ao deputado tucano.

LEIA também: 

1. Funcionários fantasmas de Carluxo usaram endereço de Bolsonaro na Receita e na Câmara

2. O MBL e o quarto elemento. Por Valter Pomar

3. Surtado, Tico Santa Cruz nega ter sido “usado” nos atos e diz que não é “otário”

O convite foi desdobramento de uma conversa que tiveram sobre as manifestações contra Bolsonaro neste domingo, 12.

Frota ligou para Gleisi e se dispôs a andar ao lado da petista pela avenida Paulista.

“No fim, o PT acertou de não ter participado”, disse o deputado ao DCM.

Ele criticou especialmente o Vem Pra Rua. Considerou que o grupo montou uma armadilha para os progressistas.

“Como você convida alguém para um ato público e permite discursos críticos aquela pessoa, como fizeram com o Tico Santa Cruz e o Ciro?”, perguntou.

Segundo Frota, o MBL, neste apecto, teve mais dignidade. “Posso estar enganado, mas não vi a mesma postura no carro deles”.

Frota diz que o recuo de Bolsonaro com a carta de trégua ao STF, escrita por Temer, esvaziou os atos. “Quando surgiu aquilo logo imaginei que as manifestações iam diminuir”.

O deputado também falou da divisão do PSDB na câmara.

Segundo ele, existem dois grupos, um independente e outro ligado a Aécio Neves que vota com Bolsonaro por causa de benesses – emendas parlamentares, indicação de cargos nas estatais, etc.

PSDB dividido

Disse ainda que João Doria vai vencer as prévias e se cacifar como candidato do partido à presidência. “Estamos trabalhando bastante e não tenho dúvida de que isso vai acontecer”.
Na semana passada, o governador de São Paulo teve uma vitória no partido: o PSDB se declarou finalmente oposição a Bolsonaro.
“O que é preciso agora é honrar essa posição”, disse o deputado tucano.

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.