Governo de Minas divulga novo protocolo para volta às aulas presenciais

Com base no cenário epidemiológico atual em todo o estado, o Governo de Minas divulgou nesta sexta-feira (10/9) um novo protocolo a ser seguido pelas escolas da rede pública para estabelecer regras de retorno seguro às atividades presenciais. As novas diretrizes mostram menos rigidez nas propostas para educadores, alunos e demais funcionários das instituições.
 
A principal mudança ocorreu em relação ao distanciamento praticado nas unidades escolares, que passou para 90 centímetros. Estudos demonstram que este distanciamento é viável para a proteção coletiva em ambientes escolares, desde que outras estratégias de prevenção também sejam adotadas. 
No entanto, nos refeitórios, devido a não utilização de máscaras quando os alunos estão se alimentando, a distância recomendada continua sendo 1,5 metro.
Outras medidas cumulativas, obrigatórias e adicionais de prevenção também devem ser adotadas para manter nas escolas um ambiente seguro. Algumas delas são priorização da ventilação; lavagem das mãos e etiqueta respiratória; ficar em casa quando doente; realização do teste; identificação de vínculo epidemiológico, em combinação com quarentena isolamento, limpeza e desinfecção.
“A experiência até o momento tem demonstrado que o retorno escolar não gera impacto nos indicadores epidemiológicos do estado. Tanto a taxa de incidência da COVID-19, os índices de hospitalização e número de óbitos no estado estão constantes, mesmo após o retorno escolar ocorrido em julho de 2021”, avalia a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS-MG), Eva Lídia Arcoverde.
O protocolo leva em conta a queda de 37% de incidência da doença na última semana e de 44% nos dias anteriores. O estado também leva em consideração que 84,96% da população acima de 18 foi vacinada com a primeira dose e de 39,92% com a segunda dose. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), 25 pessoas aguardam por vaga de internação na UTI.
Outro fator que reduz as restrições é a deliberação do governo para que os adolescentes de 12 a 17 anos sejam imunizados com as vacinas de Pfizer/Comirnaty.
“As taxas de transmissão estão baixas em ambientes escolares, demonstrando que, quando realizamos a adesão de múltiplas estratégias de prevenção e a adesão das escolas as medidas de prevenção são possíveis um retorno seguro das atividades de educação”, completa Eva Lídia.
 
Retorno gradual 
A volta às aulas na rede estadual vem ocorrendo gradativamente, começando das séries inferiores. A presença é facultativa. A reabertura das escolas está condicionada à fase amarela ou verde do Plano Minas Consciente. O ensino infantil foi o primeiro a voltar, no começo de maio. Já algumas salas ensino fundamental conseguiram retornar às aulas em julho. 
 
Desde o início de agosto, alunos do 8º ano do ensino fundamental, 2º ano do ensino médio, além das turmas do último período/semestre dos cursos profissionalizantes e do último período da Educação de Jovens e Adultos (EJA)  tiveram a liberação para o retorno às atividades presenciais.
 
 
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.