Hospital oncológico poderá ter mais de 100 leitos e custará R$ 30 milhões

 
Pouso Alegre e cidades da região vão contar com um hospital oncológico, anexo ao Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL). O anúncio do empreendimento foi realizado nesta sexta-feira (10/9), durante um seminário de saúde, realizado na Câmara Municipal, que contou com a presença de prefeitos e secretários de saúde da região.
O prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (DEM), assinou leis municipais que autorizam a doação da área de 2.800 m², onde será construído o hospital, e o repasse de R$ 13,7 milhões do município para o início das obras do novo Hospital do Câncer.
A aprovação dos projetos de lei que autorizam a doação do terreno e do repasse da verba à Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (FUVS), mantenedora do Samuel Libânio, já havia ocorrido no mês passado.
O terreno doado fica ao lado do HCSL, no antigo campo da Lema, em frente à UPA. Na área de 2,8 mil m², será erguido o Hospital do Câncer, que terá cinco pavimentos e mais de 11 mil m² de área construída, com capacidade de mais de 100 leitos para atender pacientes de 53 municípios.
 
Atualmente, pacientes oncológicos da região precisam se deslocar mais de 400 km para poder fazer alguns tratamentos em Barretos (SP). 
 
 
“Dia histórico não só para Pouso Alegre, mas com toda certeza para todo o Sul de Minas. Isso vai ao encontro do anseio da população que quer assistência. Não é oncológico apenas para adultos, é para todos, inclusive infantil”, disse Rafael Simões.
Ainda de acordo com o prefeito de Pouso Alegre, que também preside o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Sapucaí (Cisamesp), que reúne 33 municípios, as prefeituras da região também vão contribuir financeiramente para a execução da obra, além de emendas parlamentares vindas dos governos estadual e federal, através dos deputados da região.
 
A obra está estimada em cerca de R$ 30 milhões. Terá ainda a aquisição de equipamentos. 
Para o diretor do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, Alexandre Hueb, essa nova unidade hospitalar vem suprir uma carência importante em um momento delicado da saúde.
 
“É um momento fundamental a criação desse novo complexo do Hospital Oncológico de Pouso Alegre, do hospital Oncológico Samuel Libânio, porque nós já trabalhávamos há algum tempo com uma saturação na ocupação. Então essa dádiva que estamos recebendo vem num momento muito propício”, disse.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.