Hugo Armando Carvajal, ex-chefe da Inteligência venezuelana, é preso na Espanha

A polícia espanhola anunciou nesta quinta-feira (9) a prisão em Madri do general venezuelano Hugo Armando Carvajal, ex-chefe dos serviços de Inteligência do governo de Hugo Chávez.

Carvajal fugiu depois que um tribunal espanhol aprovou em novembro de 2019 o pedido de extradição para os Estados Unidos.

Ele está na mira dos EUA por supostamente ter participado de atividades de narcotráfico com a ex-guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Em 2011, ele foi acusado de coordenar o embarque de 5,6 toneladas de cocaína da Venezuela para o México em 2006, antes de chegar ao seu destino final nos Estados Unidos.

Conhecido como “El Pollo”, Carvajal foi rejeitado pelo governo de Nicolás Maduro após ter apoiado publicamente o opositor Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente da Venezuela em fevereiro de 2019. Em seguida, o general partiu para a Espanha.

Carvajal pode ser condenado a dez anos de prisão, indicou a justiça dos Estados Unidos após sua prisão em abril de 2019 na Espanha.

A organização, batizada de ‘Cartel de los Soles’, teria sido liderada por altos funcionários do chavismo, incluindo o próprio Chávez, que morreu em 2013, o vice-presidente da Economia, Tareck El Aissami, e o ex-presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello.

O cartel estaria operando em coordenação com as Farc desde pelo menos 1999.

Carvajal seria encarregado de “fornecer segurança fortemente armada para proteger esses carregamentos de drogas” da Venezuela para os Estados Unidos, segundo a polícia.

Em uma entrevista ao New York Times em 2019, Carvajal negou envolvimento em tráfico de drogas e disse que, por várias vezes, reportou suspeitas de carregamentos de cocaína a altos funcionários, que o ignoraram.

Ele também garantiu que só entrou em contato com a antiga guerrilha para negociar a libertação de um empresário venezuelano sequestrado.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.