Irã critica governo provisório afegão não inclusivo

O Irã criticou nesta segunda-feira (13) o governo provisório talibã, formado na semana passada no vizinho Afeganistão, por não ser representativo de toda população do país.

“Certamente não é o governo inclusivo que a comunidade internacional e a República Islâmica do Irã esperavam”, afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Said Khatibzadeh.

“Realmente temos de esperar e ver como os talibãs vão responder aos pedidos internacionais”, acrescentou ele, em uma entrevista coletiva em Teerã.

O Talibã anunciou seu governo de transição na semana passada. É composto apenas de homens, em sua maioria da etnia pashtun, e controlado por antigos membros do movimento fundamentalista islâmico.

O Irã compartilha mais de 900 km de fronteira com o Afeganistão e abriga quase 3,5 milhões de afegãos. Um novo fluxo de refugiados preocupa Teerã.

As relações bilaterais durante o primeiro governo talibã, entre 1996 e 2001, foram tensas. O Irã nunca reconheceu a autoridade de seu emirado islâmico. Nos últimos meses, porém, Teerã parecia avançar para uma aproximação com os talibãs.

Em 6 de setembro, porém, Teerã condenou “energicamente” a invasão do vale afegão de Panshir por parte dos talibãs. Esta área é o último bastião de resistência ao movimento agora no poder no país.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.