Linha do tempo: relembre o passo a passo do atentado de 11 de setembro nos EUA

O atentado às Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York (EUA), no dia 11 de setembro de 2001 chocou o mundo. O atentado completa 20 anos neste sábado (11) e o ND+ preparou uma linha do tempo relembrando como tudo aconteceu.

Atentado de 11 de setembro de 2001 contra as torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York (EUA)  – Foto: Liam Enea / Flickr

Com quase 3 mil mortos e milhares de feridos, o ataque terrorista é, até hoje, o maior da história do país. Na manhã daquela terça-feira, no primeiro ano do século 21, quatro aviões foram sequestrados na costa leste do país por terroristas para atacar edifícios emblemáticos do poder econômico, político, militar e cultural dos Estados Unidos.

Duas destas aeronaves foram lançadas contra as torres gêmeas do World Trade Center, na ilha de Manhattan, um chocou-se contra o prédio do Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA, na capital Washington D.C, e um quarto caiu em uma área desabitada no estado da Pensilvânia.

Confira a linha do tempo que relembra os detalhes do 11 de setembro de 2001:

* o material conta com informações da BBC, Estadão e New York Times

7h59 (Decola o primeiro avião)

O voo 11 da American Airlines decola no Aeroporto Internacional de Logan, em Boston, com rumo a Los Angeles. A aeronave decolou com piloto, copiloto e mais nove comissários de bordo. Além deles, 81 passageiros estavam no avião, entre eles, cinco sequestradores, um dos quais era o líder tático dos atentados, o egípcio Mohamed Atta.

8h14 (Decola o segundo avião)

Outra aeronave decola também do aeroporto de Boston, é o voo 175 da United Airlines. O avião também segue com destino a cidade de Los Angeles. A bordo estavam nove tripulantes, 51 passageiros e cinco sequestradores.

Enquanto isso, no voo 11 da American Airlines, os terroristas conseguem entrar na cabine de comando do voo e assumir o controle. Dois comissários de bordo foram esfaqueados, possivelmente por sequestradores que viajavam na primeira classe. Um passageiro também foi esfaqueado durante a ação do grupo criminoso.

Segundo relatos, o passageiro que sofreu as agressões foi Daniel Lewin. Acredita-se que ele morreu tentando impedir as ações dos criminosos, ele, porém, não sabia que havia outro sequestrador sentado em uma poltrona atrás da dele.

Após conseguir tomar o controle do voo AA11, o grupo criminoso manda todos os passageiros e tripulantes para a parte traseira da aeronave. Na ocasião eles utilizaram gás lacrimogênio, além de ameaçar as pessoas com uma possível bomba.

Primeiro alerta

A comissária de bordo Betty Ong, do voo AA11, faz o primeiro alerta sobre o possível sequestro, em ligação para a central de reservas da companhia aérea.

“Tem alguém esfaqueado na classe executiva, também soltaram gás de pimenta ou algo assim, não conseguimos respirar. Acho que estamos sendo sequestrados”, afirmou. A ligação é abruptamente interrompida quando ela afirma que os criminosos estão voltando para a parte traseira da aeronave.

8h20 (Decola o terceiro avião)

O voo 77 da American Airlines decola do Aeroporto Internacional de Washington Dulles, na Capital norte-americana, com seis tripulantes, 53 passageiros e cinco sequestradores, com destino a Los Angeles.

8h24 (aviso do sequestro)

Mohamed Atta, um dos sequestradores do voo AA11, tenta se comunicar com os passageiros, porém, por engano, acaba noticiando o sequestro da aeronave para o controle aéreo de Boston. No contato ele ainda revela que foram sequestrados mais de um avião.

“Temos alguns aviões, apenas fiquem quietos e ficaremos ‘OK’, estávamos voltando ao aeroporto”, disse o sequestrador no primeiro contato.

O controlador de voo então responde, perguntando quem estaria tentando se comunicar. Então Atta responde: “ninguém se mexe, tudo vai ficar OK. Se vocês tentarem fazer qualquer movimento vão machucar vocês mesmo e o avião”. Atta então faz uma segunda chamada, que deixa claro o sequestro do avião.

Após isso, os sequestradores então desligam o transponder, dispositivo que ajuda no controle do tráfego aéreo e identifica velocidade, direção e altitude de cada aeronave.

Forças de segurança do país ficam sabendo do ataque

A notícia do sequestro das aeronaves chega a Administração Federal de Aviação, a agência governamental responsável por regular a aviação no país. Leva cerca de 30 minutos para o entendimento da frase “temos alguns aviões”, com isso, segue normalmente o fluxo de aeronaves no país durante este tempo.

8h42 (Decola o quarto avião)

Decola do Aeroporto Internacional de Newark, em Nova Jersey, o voo 93 da United Airlines, com destino a San Francisco. No avião estavam sete membros da tripulação, 33 passageiros além de quatro sequestradores, um a menos do que nas outras aeronaves sequestradas. Enquanto este voo decolava, o segundo avião, UA175, é dominado pelos criminosos.

Primeiro avião acerta a torre Norte

Às 8h44, o primeiro avião, o AA11, cruza o céu da cidade de Nova York. A manhã de 11 de setembro de 2001 era um dia de céu limpo, com poucas nuvens no local. A comissária de bordo Madeline Sweeney relata passo a passo, por telefone, à empresa área sobre o caminho que o voo está percorrendo.

Segundo a comissária, o avião fazia descida “demasiada acelerada” e de maneira errada. Em seguida, o interlocutor pergunta se é possível ver onde estão pela janela da aeronave. A comissária então, profere suas últimas palavras:

“Estamos voando baixo. Estamos voando muito, muito baixo. Estamos voando baixo demais. Meu Deus, estamos baixo demais”. A ligação é cortada.

Primeira torre é atingida – Foto: Liam Enea / Flickr

Às 8h46 o voo AA11 se choca contra a torre Norte do World Trade Center. O impacto faz com que o combustível do avião gere uma imensa bola de fogo. A batida destruiu um grupo de elevadores, além de provocar explosões nos andares inferiores. Segundo informações da BBC, em alguns locais as temperaturas ultrapassaram os 1.000°C. Além disso, uma densa fumaça escura envolve o local.

Presidente Bush recebe primeiro comunicado

O presidente dos Estados Unidos na época, George W. Bush, está em uma sala de aula em uma escola primária na Flórida, quando é informado que “um pequeno avião bimotor”, colidiu contra uma das Torres Gêmeas.

Uma vez que não há mais informações disponíveis ainda, o chefe do Executivo do país decide seguir com seu plano de ler para os pequenos alunos da escola. Acredita-se que aproximadamente neste horário o terceiro avião, o AA77, foi tomado pelos sequestradores.

8h56 (Pessoas começam a cair da torre Norte)

Devido ao desespero e a forte calor nos andares mais altos da torre Norte do World Trade Center, algumas pessoas começam a cair e, até mesmo, se jogar dos mais de 300 metros de altura.

Segundo avião se choca contra a torre Sul

Às 9h01, o segundo avião sequestrado corta o céu de Nova York. Mesmo não tendo desligado o transponder, a aeronave, de acordo com a BBC, não chegou a ser questionada de o porquê não estar na sua rota original.

Segundo avião se choca contra a torre Sul – Foto: Robert/WikimediaCommons/Divulgação/ND

9h03: O voo UA175 se choca contra a torre Sul do World Trade Center. O impacto foi causado entre o 77º e o 85º andar. Foram apenas 17 minutos de intervalo entre a primeira e a segunda colisão.

Bush recebe a notícia do segundo ataque

Às 9h05, o ataque a segunda torre é noticiado a Bush, enquanto ele lia para um grupo de crianças. O presidente permanece sentado, parecendo incrédulo, e apenas balança a cabeça do por um momento.

Proibição de decolagem

9h24: Após o impacto a segunda torre, a United Airlines e a American Airlines decidem não permitir que outros voos decolem do país. O UA93 está a poucos minutos de se tornar o quarto avião sequestrado.

9h28: Sons de luta são ouvidos no voo UA93 em meio aos gritos de “mayday” pelo centro de controle em Cleveland, Ohio. Os sequestradores assumem o comando da aeronave. A tomada da cabine acontece 46 minutos após o avião decolar.

Ataque mobilizou forças de segurança do país – Foto: U.S. Air Force

Terceiro avião se choca contra o Pentágono

9h37: O voo AA77 se choca contra a fachada Oeste do Pentágono. O impacto gera uma imensa bola de fogo. Todas as 64 pessoas que estavam a bordo morreram, além disso, outras 125 que estavam no local também perderam a vida. Outras 100 ficaram gravemente feridas.

Fotografia aérea feita em 14 de setembro de 2001, mostra um pouco da destruição causada quando o voo da American Airlines se chocou contra o prédio do Pentágono três dias antes – Foto: Cedric H. Rudisill/ US Navy

Voos devem pousar imediatamente

9h42: Forças de segurança dos Estados Unidos emitem um comunicado que todos os voos comerciais do país devem pousar imediatamente no aeroporto mais próximo. Mais de 4 mil voos pousaram no solo do país. O único que seguiu no ar foi o UA93, que desliga o transponder após o comunicado.

9h57: Mensagens de voz de passageiros a entes queridos dão a entender que eles irão se rebelar contra os sequestradores para tentar recuperar o controle da aeronave.

Torre Sul do WTC desmorona

9h58: A torre Sul do World Trade Center desmorona sobre si mesma em apenas 11 segundos. Uma enorme nuvem de fumaça levanta no local. Milhares de pessoas morreram no desabamento.

Passageiros tentam invadir cabine e 4º avião cai

10h03: Os passageiros do voo UA93 tentam invadir a cabine de comando do voo. A caixa preta registra gritos e ruídos, além de pratos e vidros quebrando. Neste momento o voo está a 20 minutos da cidade de Washington D.C.

O UA93 começa a baixar enquanto os passageiros continuam tentando invadir a cabine. A aeronave cai em um campo em Shanksville, na Pensilvânia. Todas a bordo morreram.

Torre Norte despenca

10h28: A torre Norte do World Trade Center também despenca em cerca de nove segundos. A queda mata todas as pessoas que estavam no local, com exceção de 12 bombeiros, um policial e três civis que se encontravam na escada B da Torre Norte, que passa a ser lembrada como “a escada dos sobreviventes”.

Imagem aérea do World Trade Center em 11 de setembro de 2001 – Foto: Eric J.Tilford/ US Navy

Números do atentado de 11 de setembro de 2001:

  • World Trade Center (Nova York): 2.763 mortos
  • Pentágono (Washington D.C): 189 mortos
  • Voo UA93 (Shanksville): 44 mortos
  • Ao todo, 2.996 pessoas morreram
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.