Mãe que prostituía filha de 8 anos e autor de abusos são condenados em Blumenau

A Vara Criminal condenou a 37 anos de reclusão a mãe que prostituía a filha de 8 anos, em Blumenau. O idoso, de 69 anos, que abusava da criança também foi condenado, mas a 24 anos. Os atos ocorreram entre 2020 e 2021, nos quais a mulher recebia drogas e dinheiro em troca dos encontros da criança com o homem.

Mulher e idoso recebem pena de 61 anos de encarceramento – Foto: Anderson Coelho/ND

A mãe que prostituía a filha de 8 anos há mais de um ano e o abusador da vítima, de 69 anos, foram condenados a 61 anos de encarceramento. Enquanto a mulher foi reclusa a 37 anos, o idoso recebeu a pena de 24 anos, cinco meses e 10 dias; ambos em regime inicial fechado.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, em nota da assessoria do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, o idoso pagava a mulher em dinheiro ou comprava produtos, tais como gás, comida, entre outros na troca dos encontros com a criança.

Além disso, ele teria praticado os atos com a criança sem o uso de preservativos. Ainda segundo as informações da assessoria, “os abusos ocorriam na residência da vítima e do réu, enquanto a mãe aguardava o ato”.

O juízo da 1ª Vara Criminal da comarca de Blumenau sentenciou o homem em base das fotografias e vídeos dos atos praticados contra a menina contidos no celular, após denúncia anônima. Em decorrência dos atos, ele foi condenado por estupro de vulnerável, filmagem e armazenamento de conteúdo pornográfico envolvendo menor de idade. A decisão ocorreu na última sexta-feira (10).

Relembre o caso

O portal ND+ noticiou este caso em março deste ano. Em 17 de março, a DPCAMI de Blumenau (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso) iniciou as investigações devido a um vídeo recebido, no qual aparece o idoso praticando o ato contra a criança.

Após o flagrante, a criança foi dirigida à uma clínica, onde foi constatado que ela tinha sido estuprada. A mãe e o homem tiveram a prisão preventiva na época.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.