Magazine Luiza afirma desconhecer motivos de oscilação de suas ações

SOPA Images/Getty Images

SOPA Images/Getty Images

Entre 27 de agosto e 10 de setembro, os papéis do Magazine Luiza tiveram oscilação negativa durante cinco dias, com queda de 7,85% na última sexta-feira (10)

O Magazine Luiza respondeu hoje (13) os questionamentos da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e da B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) a respeito das oscilações atípicas ocorridas com as ações da companhia entre o final de agosto e a última semana.

Em comunicado ao mercado, o Magalu afirmou que desconhece qualquer ato ou fato relevante que não tenha sido divulgado pela empresa e que justifique tais movimentos do mercado de ações. Por volta das 15h30 de hoje (13), os papéis da varejista são negociados na bolsa a R$ 17,46, com alta de 1,63%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram: https://t.me/forbesmoney

Apesar disso, a companhia credita que as oscilações registradas podem ser atribuídas a notícias veiculadas pela imprensa ou por consultorias especializadas que, segundo o Magalu, não têm relação direta com a empresa ou com seus fundamentos de longo prazo.

Entre elas, a varejista cita matéria relacionada à Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na sexta-feira passada, e relatórios da consultoria YipitData, além de notícias sobre aumento de capital de uma empresa asiática do setor, diz documento publicado.

A empresa entende que tais notícias, de modo geral, têm efeito sobre os papéis de todo o setor. O Magalu também afirma que “apresenta a maior base de comparação entre todos os seus principais concorrentes” e que “o e-commerce da companhia foi o que mais cresceu no terceiro trimestre de 2020 e o que mais avançou em participação de mercado nos últimos dois anos”.

Além das oscilações registradas com os valores mobiliários de emissão, o ofício da B3 também questionava a respeito do número de negócios e quantidade de papéis negociada.

Entre o período de 27 de agosto e 10 de setembro, os papéis do Magazine Luiza tiveram oscilação negativa durante cinco dias, com queda de 7,85% na última sexta-feira (10). A quantidade de ações negociadas também sofreu fortes variações, com compra e venda de 18.344.900 papéis no dia 6 para 61.296.500 papéis no dia 10.

Vale ressaltar que o Magalu lançou em agosto de 2021 um novo programa de recompra de até 40 milhões de ações, das quais 14,4 milhões já foram recompradas nas últimas semanas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

O post Magazine Luiza afirma desconhecer motivos de oscilação de suas ações apareceu primeiro em Forbes Brasil.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.