Memorial JK completa 40 anos; conheça história do museu em Brasília


Inauguração do espaço ocorreu em 1981, na data de aniversário de Juscelino Kubitschek. Celebração das quatro décadas contou com lançamento de obras sobre trajetória do fundador da capital federal. Memorial JK, em Brasília
Vianey Bentes/TV Globo
O Memorial JK – uma homenagem ao fundador de Brasília, Juscelino Kubitschek – completa 40 anos neste domingo, 12 de setembro. A data também marca o 119º aniversário do ex-presidente.
Para comemorar as quatro décadas do espaço, foram lançadas nesta manhã duas obras que contam a trajetória de JK. A cerimônia contou com a presença do governador de Brasília, Ibaneis Rocha (MDB) (saiba mais abaixo).
Com projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer, o museu fica localizado em um dos pontos mais altos do Eixo Monumental, via que dá acesso à Esplanada dos Ministérios. O monumento é marcado por uma estátua em bronze de Juscelino acenando para a capital, feita por Honório Peçanha.
Estátua de Juscelino Kubitschek, no memorial JK, em bronze, feita por Honório Peçanha.
Renato Alves / Agência Brasília
A inauguração do memorial ocorreu em setembro de 1981, cinco anos após a morte de JK – que faleceu em um acidente de carro na Rodovia Presidente Dutra, no Rio de Janeiro. A ideia da homenagem partiu de sua esposa, Sarah Kubitschek. Para garantir o local, ela contou com apoio do então presidente da República, João Figueiredo.
Vestimentas da posse de Juscelino e Sarah Kubitschek;
Tony Oliveira/Agência Brasília
De acordo com o GDF, a obra foi erguida em 17 meses. Ao todo, são 120 metros de comprimento e 32 de largura. O museu guarda objetos que fizeram parte de momentos que misturam a história da família com a construção de Brasília.
Apesar das medidas de restrição por conta da pandemia do novo coronavírus, o memorial está aberto, sob medidas de distanciamento. As visitas ocorrem de terça-feira a domingo, de 9h às 18h. O acesso custa R$ 10 a inteira e há meia-entrada para estudantes e idosos.
Exposição de objetos e fotos no Memorial JK, em Brasília
Tony Oliveira/Agência Brasília
Comemoração
Neste domingo (12), livros que lembram a trajetória de JK foram lançados em celebração pelo aniversário. Um deles, “De Nonô a JK”, é uma parceria entre o museu– que é gerido atualmente pela neta do ex-presidente, Anna Christina Kubitschek – e a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF. A obra é voltada para o público infantil, com conteúdo didático.
O segundo livro é o terceiro volume da coletânea “Memórias do Brasil — Discursos de Juscelino Kubitschek”, que seleciona pronunciamentos realizados por JK em 1958, ano em que esteve envolvido no projeto de desenvolvimento do país, incluindo a construção da capital. A publicação é do Conselho Editorial do Senado Federal (Cedit).
Na ocasião do lançamento, o governador do DF, Ibaneis Rocha, homenageou Juscelino e deixou flores no túmulo do ex-presidente, que fica no memorial.
Ibaneis Rocha deixa flores em câmara mortuária de Juscelino Kubitschek, no Memorial JK, neste domingo (12).
Renato Alves/Agência Brasília
“É um dia para nós de muita alegria rememorar tudo aquilo que JK significou para o Brasil, rememorar essa cidade, que foi construída pela força de vontade do nosso presidente Juscelino Kubitschek, que hoje a gente tenta tocar com muito carinho”, disse Ibaneis.
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.