Mesmo após carta, Bolsonaro elogia manifestações: “Foi excepcional”

Na manhã desta sexta-feira (10/9), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, em conversa com apoiadores, que as manifestações no 7 de Setembro, em apoio ao governo e com pautas antidemocráticas, foram “excepcionais”. Em Brasília, manifestantes acamparam desde segunda-feira (6/9) na Esplanada dos Ministérios.

Ao se justificar para apoiadores que o esperavam na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que o julgam antes de ler a “nota à nação”, publicada nessa quinta-feira (9/9), com o intuito de cessar o imbróglio entre Executivo e Judiciário, em especial ao ministro Alexandre de Moraes, a quem o chefe do Executivo dirigiu diversas acusações e ameaças nas últimas semanas.

“Foi excepcional o trabalho de vocês. O retrato está no mundo todo, aqui também em Brasília, todo mundo viu o que tá acontecendo. Alguns querem imediatismo. Você namorar e casar em uma semana, vai dar errado teu casamento”, sugeriu o mandatário. O momento foi gravado e divulgado por um canal simpatizante ao governo.

Bolsonaro atribuiu à carta o fato de o dólar ter caído e a Bolsa brasileira, aumentado. No diálogo, ele ainda recomenda aos simpatizantes que leiam a nota. “O que acontece, cada um fala o que quiser, não lê a nota e reclama. Leia a nota. Texto bem curtinho, duas, três vezes, são 10 pequenos itens. Entenda. A gente vai acertando. O acúmulo de lixo e de problema tem 30, 40 anos. Tá ganhando. Se o dólar dispara, influencia o combustível, gás de cozinha”, disse.

A carta foi publicada após encontro de Bolsonaro com o ex-presidente Michel Temer (MDB). Em “Declaração à nação”, o chefe do Executivo disse que às vezes fala “no calor do momento” e que nunca teve “nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes”.  O texto desagradou apoiadores e caminhoneiros que estavam acampados na área central de Brasília.

Na nota, o chefe do Executivo federal defende a harmonia entre os Três Poderes e atribui divergências a “conflitos de entendimento” acerca de decisões tomadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, relator do Inquérito das Fake News, que tem atingido bolsonaristas e o próprio presidente.

“Quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”, diz o texto assinado por Bolsonaro.

Leia a íntegra da nota:

Declaração à Nação

1. Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar.

2. Sei que boa parte dessas divergências decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo Ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news.

3. Mas na vida pública as pessoas que exercem o poder, não têm o direito de “esticar a corda”, a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia.

4. Por isso quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum.

5. Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do Ministro Alexandre de Moraes.

6. Sendo assim, essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previsto no Art 5º da Constituição Federal.

7. Reitero meu respeito pelas instituições da República, forças motoras que ajudam a governar o país.

8. Democracia é isso: Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhando juntos em favor do povo e todos respeitando a Constituição.

9. Sempre estive disposto a manter diálogo permanente com os demais Poderes pela manutenção da harmonia e independência entre eles.

10. Finalmente, quero registrar e agradecer o extraordinário apoio do povo brasileiro, com quem alinho meus princípios e valores, e conduzo os destinos do nosso Brasil.

DEUS, PÁTRIA, FAMÍLIA


0

O post Mesmo após carta, Bolsonaro elogia manifestações: “Foi excepcional” apareceu primeiro em Metrópoles.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.