Minas Gerais cria força-tarefa para combater incêndios florestais

Os bombeiros divulgaram, nesta segunda-feira (13), que quatro pessoas já morreram em incêndios no estado. A força-tarefa começou a vigiar, do alto, áreas protegidas no estado para evitar que mais vidas fiquem em risco. Força-tarefa vai combater fogo em áreas de vegetação de MG
Uma força-tarefa foi criada para combater o fogo que consome áreas de vegetação em Minas Gerais.
Os bombeiros divulgaram, nesta segunda-feira (13), que quatro pessoas já morreram em incêndios no estado.
Em agosto, o fogo num canavial surpreendeu trabalhadores rurais dentro de um ônibus em Ituiutaba. O vídeo feito por um deles mostra o desespero da equipe cercada pelas chamas. Duas pessoas morreram. Não se sabe a causa do incêndio.
Ivanildo Resende foi outra vítima, também no mês passado. Segundo a polícia de Minas Gerais, ele morreu queimado depois de colocar fogo no pasto para limpar o terreno. Essa também pode ter sido a causa da morte de um idoso de 91 anos, na cidade de Serro, em maio.
Nesta segunda-feira, uma força-tarefa começou a vigiar, do alto, áreas protegidas no estado para evitar que mais vidas fiquem em risco.
“Fazemos abordagens aos carros, aos veículos, para ver se as pessoas estão portando algum material que possa ser inflamável, orientar em relação à bituca de cigarro, fazerem fogueiras em acampamentos”, diz a tenente da PM Barbara Silvério.
Em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte, houve mais um chamado de fogo na mata. Segundo o Corpo de Bombeiros, só em agosto, em Minas Gerais, foram atendidas mais de 5 mil ocorrências.
“Grande parte dos incêndios florestais, em torno de 95% a 98%, ocorre de causa humana, ou seja, em alguns momentos por intenção e outros momentos sem intenção, mas por causa humana”, diz a secretária de Meio Ambiente de Minas, Marília Carvalho Mello.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.