Morre na prisão médico suspeito de dopar, estuprar ex e divulgar imagens

 
O médico Maciel Vieira Alves de Araújo, de 26 anos, preso suspeito de dopar, estuprar a ex-namorada e divulgar as imagens, morreu na última quarta-feira (8/9) na prisão. Ele estava detido no presídio de Cataguases, na Zona da Mata mineira, desde o dia 12 de agosto. As investigações da Polícia Civil apontaram ainda que ele teria feito, pelo menos, outras duas vítimas.
 
Em nota encaminhada à reportagem, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que o detento desmaiou, por volta das 19h45, após ter um mal súbito.
 
Logo, ainda conforme a pasta, os detentos que dividiam a cela com ele chamaram os policiais penais, que imediatamente o retiraram do local e iniciaram uma massagem cardíaca, enquanto ligavam para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).
 
“Para dar celeridade ao atendimento, o custodiado foi levado ao Hospital de Cataguases pelos próprios policiais penais”, informa a Sejusp no comunicado, acrescentando que os familiares e o advogado do médico também foram acionados pela direção da unidade prisional.
 
No hospital foram feitas várias manobras de ressuscitação, porém sem êxito. Por volta das 20h40 foi constatado o óbito. Ainda conforme a secretaria, assim como os demais detentos, ele era acompanhado periodicamente pela equipe de saúde do local.
 
Por fim, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública esclarece, por meio da assessoria, que na última consulta, realizada no dia 24 de agosto, “o quadro clínico do paciente foi considerado ótimo, incluindo pressão e saturação”.
 
Além da abertura de um procedimento administrativo para apurar internamente o ocorrido, a Sejusp destacou, em nota, que as investigações do caso prosseguem com a Polícia Civil.
 

Relembre o caso

 
O médico Maciel Vieira Alves de Araújo, de 26 anos, foi preso pela Polícia Civil no dia 12 de agosto, em Miraí, na Zona da Mata, sob a suspeita de ter dopado e estuprado a ex-namorada, de 22 anos. O investigado também teria divulgado cenas de sexo e nudez sem a autorização da vítima.
 
Conforme a delegada Érica Nascimento Guedes, a jovem teve um relacionamento com o médico entre janeiro e junho deste ano. Os crimes teriam acontecido em Cataguases, onde a vítima reside, e em Miraí, local de residência do suspeito.
 
Durante as investigações veio à tona outro caso semelhante. Uma jovem de 25 anos também alegou que foi violentada sexualmente após ter sido dopada pelo rapaz e ter ficado desacordada. O crime teria acontecido no município de Muriaé.
 
A Polícia Civil apurou, ainda, outra ocorrência envolvendo uma jovem de 21 anos. Em depoimento na Delegacia de Mulheres no município de Alfenas, ela disse que o suspeito também divulgou suas fotos íntimas.
 

Busca e apreensão

 
Ainda conforme a delegada, também foram realizadas oitivas de três testemunhas, e um mandado de busca e apreensão foi cumprido em duas residências do suspeito – uma delas localizada em Miraí e a outra em Cataguases.
 
Na ocasião, foram apreendidos três aparelhos celulares, dois notebooks, uma câmera fotográfica, dois pen drives, diversos medicamentos de uso controlado, vários objetos de uso sexual e dois cigarros de maconha.
 
O médico foi encaminhado à delegacia em Cataguases. Posteriormente, ele foi conduzido até o sistema prisional. De acordo com a autoridade policial, o material apreendido na oportunidade foi encaminhado à perícia.
 
 
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.