MP-AL denuncia pastor que disse orar pela morte do ator e humorista Paulo Gustavo

Declaração do pastor da Assembleia de Deus de Alagoas causou polêmica nas redes sociais, na época em que Paulo Gustavo ainda estava internado. Pastor José Olímpio divulgou nota se desculpando e colocou cargo à disposição. Ministério Público denuncia pastor que desejou a morte do ator Paulo Gustavo
O Ministério Público Estadual (MP-AL) denunciou nesta quarta-feira (8) o pastor José Olímpio, da Assembleia de Deus de Alagoas, que disse em um post na internet orar pela morte do ator e humorista Paulo Gustavo, quando o artista ainda estava internado em estado grave com Covid-19. Paulo Gustavo morreu aos 42 anos, no dia 4 de maio.
Dias após a postagem, José Olímpio divulgou uma nota se desculpando pela atitude e informando que colocou o seu cargo à disposição (veja a nota completa ao final do texto).
O pastor foi denunciado por “crime tipificado no art. 20 da Lei 7.716/1989 praticar discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional- racismo”.
A postagem foi feita na conta pessoal do pastor no Instagram e apagada depois da repercussão negativa. Acompanhado de uma foto do ator, o texto dizia: “Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza? E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”.
Na nota divulgada pelo pastor, ele reconhece o erro. “Quão tolo eu fui! Por ter escrito a sandice que escrevi, mesmo sem no meu intimo desejar a morte de ninguém, pois apesar de minhas fraquezas, sou um cristão convicto. Peço mil vezes a todos: DESCULPAS, DESCULPAS, DESCULPAS”.
“Evidenciando o reconhecimento do meu erro, digo que voluntariamente pus minhas funções à disposição da Mesa Diretora da Convenção dos Ministros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado de Alagoas e estou solicitando ao Conselho Consultivo e de Ética da mesma a análise do caso, ponho-me à disposição do mesmo para que me sejam aplicadas as penas previstas nas normas estatutárias e regimentais”, diz outro trecho da nota.
Entidades LGBTQIA+ pedem investigação do pastor
Ao G1, O presidente da Aliança Nacional LGBTI+, Toni Reis, disse que as falas do pastor instigam o preconceito e a violência.
“Nós defendemos a liberdade de expressão, mas ela não é irrestrita, tem que respeitar o princípio da dignidade humana e da vida. Ninguém merece a morte. O Paulo é um ator consagrada e amado pelos brasileiros. Um pastor, que deveria semear o amor ao próximo, está semeando o ódio, o preconceito, a discriminação e a violência. Ele tem que pagar por isso, ele ofendeu o Paulo, a família dele e a nossa comunidade. Não podemos admitir isso no nosso país”, disse.
O presidente acrescentou ainda que a fala do pastor foi motivada pelo fato de o ator ser homossexual. Desde 2019, o Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu a criminalização da homofobia. Baseada nisso, a Aliança Nacional pediu ao Ministério Público que o caso fosse apurado.
“É de notório saber que o ator Paulo Gustavo vive maritalmente com outro homem e que o casal tem dois filhos pequenos. Como base neste fato, consideramos que a fala do referido pastor se caracteriza como incitação ao ódio motivada por LGBTIfobia”, afirmou.
O Grupo Gay de Alagoas (GGAL) também repudiou o que foi postado pelo pastor e deu entrada em uma representação no MP-AL, junto a outras entidades LGBTQIA+ e outros grupos defensores de direitos humanos.
Leia a íntegra da nota do pastor
Mediante esta, quero apresentar-me ao público com uma nota dupla: primeiro, para pedir desculpas, pois o pedido de desculpa deve ocorrer quando se cometer um ato falho sem a intenção de ofender ao atingido. Por isto, em primeiro lugar peço desculpas, pois, quem me conhece, sabe que do meu íntimo jamais eu ofenderia propositalmente alguém, estou dessa idade e por onde passei foi construindo amigos e servindo a quem precisa com o que está ao meu alcance. Para saber quem é a pessoa, deve-se buscar a começar na família, na vizinhança onde se criou e viveu e na igreja onde é membro. Se forem procurar falhas e imperfeições em mim, vão encontrar muitas, mas, malignas intenções, creio que não encontrarão.
Considerando esse preâmbulo peço DESCULPA, pois nunca foi intenção do meu coração ferir, ofender ou machucar a nenhum dos ofendidos (que são aos milhares), a começar do ator Paulo Gustavo, que foi atingindo diretamente, passando por seus familiares, amigos, admiradores e muitos fãs, pois o mesmo é uma pessoa querida no mundo artístico. A minha insensatez foi tentar defender a honra de meu Deus, muitas vezes ultrajada de muitos modos e de muitas maneiras e por muitas pessoas, esquecendo-me eu, de que Deus, o Criador do céu e da terra não precisa de quem defenda a sua honra. Quão tolo eu fui! Por ter escrito a sandice que escrevi, mesmo sem no meu intimo desejar a morte de ninguém, pois apesar de minhas fraquezas, sou um cristão convicto. Peço mil vezes a todos: DESCULPAS, DESCULPAS, DESCULPAS.
Mas, mesmo sem ter cometido no meu intimo o pecado de desejar verdadeiramente a morte de ninguém, eu também, quero pedir PERDÃO.
Perdão aos familiares, amigos, admiradores e fãs, porque os feri e principalmente ao ator Paulo Gustavo.
Perdão a minha mãe, irmãos, cunhados, a minha esposa e aos meus três filhos, um jovem e gêmeos adolescentes, por colocá-los em uma situação tão vexatória.
Perdão a memoria de meu pai, que me ensinou a ser um cidadão de bem.
Perdão aos meus amigos que ao longo dos anos têm posto tanta fé em mim.
Perdão a minha Igreja na qual nasci e me criei, que desde a minha infância, na Escola Dominical, tem me ensinado o caminho reto.
Perdão aos pastores de todo o Brasil, que Deus me deu a graça de conhecer, amá-los e ser por eles amado.
Perdão aos meus companheiros da briosa COMADAL, por ter-lhes causado este desconforto.
Perdão as mui dignas Mesas Diretoras da IGREJA e da COMADAL, que me deram um voto de confiança, consagrando-me ao Ministério.
Perdão ao meu pastor presidente, que sempre me ensinou e ensina a todos os obreiros a não perder tempo nas redes sociais e nem exporem-se nas mesmas. Se tivesse dado ouvidos aos seus ensinamentos, não teria caído nessa situação.
Por fim e principalmente, quero pedir PERDÃO ao meu Deus, pois por minha causa o seu nome está sendo blasfemado entre os gentios (Rom 2:24), sem que Ele, nem sua Palavra, nem sua Igreja tenham culpa alguma.
Evidenciando o reconhecimento do meu erro, junto a esta nota, dou a conhecer a quem possa interessar, que voluntariamente pus minhas funções à disposição da Mesa Diretora da Convenção dos Ministros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado de Alagoas – COMADAL e estou solicitando ao Conselho Consultivo e de Ética da mesma, através de documento protocolado na secretaria, a analise do caso em apreço, ponho-me a disposição do mesmo para que me sejam aplicadas as penas previstas nas normas estatutárias e regimentais de minha Convenção Estadual, de acordo com o que este douto Conselho julgar.
Termino rogando as orações por mim e por minha família.
Maceió, Alagoas, 18 de abril de 2021.
José Olímpio da Silva Filho
Quatro meses sem Paulo Gustavo
Criança Esperança faz homenagem ao ator Paulo Gustavo
Veja os vídeos mais recentes do G1 AL

Veja mais notícias da região no G1 AL

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.