Orangotangos de Bornéu passam por testes de coronavírus

Quase trinta orangotangos na Malásia em grave risco de extinção foram subtmetidos a testes diagnósticos de coronavírus, um desafio para os veterinários, que precisaram obter amostras nasais dos primatas.

Os testes de antígenos nessas criaturas ocorreram na última terça-feira (7) no estado de Sabah, na ilha de Bornéu, e todos apresentaram resultado negativo, informaram as autoridades locais.

Foram os primeiros testes realizados em orangotangos neste país do sudeste asiático e foram decretados depois que as equipes do centro de reabilitação e do parque se contagiaram com o coronavírus.

“Os testes foram uma ferramenta fundamental de ajuda durante esta pandemia. É de importância similar para a população de orangotangos”, disse Sen Nathan, assistente de direção do Departamento de Fauna Selvagem do estado de Sabah.

“Esta doença poderia ser muito prejudicial para sua saúde e reverter sua reabilitação”, afirmou.

Os veterinários continuarão vigiando os primatas de perto, realizando testes com frequência, informaram as autoridades.

Há registros de casos de animais infectados com covid-19. No fim de semana, o zoológico de Atlanta anunciou que vários de seus gorilas deram positivo para o vírus.

Cães e gatos domésticos e ao menos um furão também foram infectados.

A Malásia enfrenta um forte aumento dos casos de coronavírus, impulsionado pela contagiosa variante delta, com milhares de casos e centenas de mortes registradas diariamente.

Os orangotangos de Bornéu estão “em risco crítico” de extinção, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Suas populações diminuíram em mais de 50% nos últimos 60 anos, de acordo com a organização WWF, à medida que o habitat florestal dos animais se reduzia para deixar espaço para plantações agrícolas.

A ilha de Bornéu é dividida entre Malásia, Indonésia e Brunei.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.