Paraíba publica editais para 2º fase da Lei Aldir Blanc e as inscrições já estão abertas


São cinco editais de premiações e um cadastro destinado ao pagamento de um auxílio de cinco parcelas de R$ 600,00. Das vagas destinadas às premiações, 30% são para pessoas que se autodeclararem pretas ou pardas.
Divulgação/PMV
Foram publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) da Paraíba, deste sábado (11) os editais para segunda fase da Lei Aldir Blanc. Ao todo, cinco documentos foram divulgados com as oportunidades para a nova etapa.
São cinco editais de premiações e um cadastro destinado ao pagamento de um auxílio de cinco parcelas de R$ 600,00 a trabalhadores do setor cultural do estado.
Confira os editais a partir da página 6 do Diário Oficial
No Edital Corrinha Mendes (credenciamento), serão pagos cachês variando de R$ 2 mil a R$ 9 mil, de acordo com a escolha dentre três categorias e nove subcategorias. Serão cerca de 560 propostas culturais e artísticas, nas modalidades teatro, dança, seminário e grafite, que devem ser feitas e exibidas no modelo digital.
O prazo para inscrições do edital Corrinha Mendes termina em 11 de outubro, as demais oportunidades da nova fase da Lei Aldir Blanc têm inscrições abertas até 26 de outubro.
Já no Edital Hermano José (premiação), o investimento é para seleção e premiação de 730 obras físicas de Artesanato, Habilidades Manuais, Artes Visuais, Fotografia e Literatura (livros e cordéis). Duas categorias de projetos possuem valores de R$ 5 mil e R$ 10 mil.
O edital Parrá (premiação) oferta oportunidades para 193 projetos culturais em fase inicial, de continuidade, e em fase de finalização, executados por artistas independentes como músicos, grafiteiros, fotógrafos, bailarinos (as) e produtores audiovisuais. Os projetos serão divididos em três categorias, com valores de R$ 10 mil, R$ 30 mil e R$ 50 mil.
O edital Mãe Maria do Peixe (premiação) é destinado às artes cênicas, música, circo , festejos juninos e carnavalescos, com investimento para 116 vídeo-biografias apresentadas por iniciativas coletivas. Consta na publicação a seleção de projetos em duas categorias, com valores de R$ 25 mil e R$ 55 mil.
Por último, o edital Wills Leal (premiação), vai beneficiar artistas solos e técnicos. O investimento vai para 300 vídeobiografias individuais para fins de composição do Acervo da Cultura Paraibana – Memorial da Pandemia. Cada projeto será beneficiado com o valor de R$ 5 mil.
Das vagas destinadas às premiações, 30% são para pessoas que se autodeclararem pretas ou pardas.
A Lei Aldir Blanc foi instituída em 2020, pelo Governo Federal, e prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com impacto das medidas de distanciamento social por causa do coronavírus.
Vídeos mais assistidos do G1 Paraíba
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.