Polícia israelense prende quatro dos seis palestinos que fugiram da prisão

A polícia israelense prendeu, na sexta-feira (10) à noite, quatro dos seis palestinos que escaparam da prisão de segurança máxima de Gilboa no início da semana.

Desde sua fuga, na segunda-feira (6), por um túnel cavado sob uma pia, as autoridades israelenses têm procurado por eles em Israel e na Cisjordânia ocupada, território de origem dos fugitivos e para onde o Exército enviou reforços.

Acreditava-se que eles poderiam ter deixado o país, cruzando a fronteira com a vizinha Jordânia, mas quatro dos fugitivos foram presos no norte de Israel, a cerca de 30 quilômetros da prisão.

Na sexta à noite, a polícia anunciou a prisão em Nazaré, a principal cidade árabe no norte de Israel, de dois membros do grupo armado Jihad Islâmica: Yaqub Qadri, de 48 anos, e Mahmoud Ardah, de 45 anos.

Segundo a imprensa local, Ardah, que cumpria pena de prisão perpétua, foi o principal instigador da fuga.

Logo após o anúncio de sua prisão, rapidamente divulgada por toda a mídia israelense, o Exército informou o lançamento de um foguete a partir da Faixa de Gaza em direção ao sul de Israel, que foi interceptado por seu escudo defensivo.

“As forças policiais os descobriram e perseguiram de helicóptero”, disse a polícia sobre os dois fugitivos. “Eles foram detidos sem resistência no sul de Nazaré”.

Segundo a mídia israelense, a polícia recebeu um alerta de moradores da cidade sobre a presença de dois homens procurando comida no lixo.

E no início deste sábado (11), a polícia israelense anunciou a prisão de mais dois fugitivos “quando eles estavam se escondendo no estacionamento de caminhões”.

Eles são Zakaria al-Zubeidi, conhecido ex-líder do braço armado do partido Fatah do presidente palestino Mahmoud Abbas, e Mohammad Ardah.

As prisões ocorreram na cidade árabe de Shibli Umm al-Ghanam, uma dúzia de quilômetros a leste de Nazaré.

“Os dois homens foram capturados por uma equipe com membros da unidade especial antiterrorista da polícia e membros do Shin Bet (o serviço de segurança interna) após uma busca intensa”, reportou a polícia israelense.

“A caça aos outros dois fugitivos continua”, acrescentou.

Desde segunda-feira, as forças de segurança, incluindo o Exército, lançaram uma grande operação de busca para encontrar os seis que escaparam da prisão de Gilboa pelo túnel.

Imagens fornecidas pelos serviços penitenciários mostraram o buraco escondido no banheiro de uma cela. Do lado de fora, os policiais encontraram outro buraco cavado no chão.

Essa bizarra evasão embaraçou as autoridades israelenses e foi comemorada como “heroica” pelos palestinos.

– Tensão crescente –

Na sexta, o Exército israelense fez mais prisões na Cisjordânia ocupada entre pessoas próximas aos seis fugitivos, incluindo dois irmãos e uma irmã de Mahmoud Ardah, perto da cidade de Jenin.

O Exército implantou reforços na Cisjordânia para “rastrear” os seis fugitivos, membros de grupos armados palestinos que foram acusados de preparar ataques contra os interesses israelenses.

As autoridades israelenses expressaram seu medo de que esses prisioneiros cometessem mais ataques.

Manifestações foram realizadas nos territórios palestinos nos últimos dias para apoiar os fugitivos, muitas vezes levando a distúrbios com as forças de segurança israelenses.

Diante desse cenário de tensão, um agressor palestino que tentou esfaquear um policial na Cidade Velha de Jerusalém foi gravemente ferido por tiros do oficial e morreu pouco depois.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.