Procura por viagens entre setembro e dezembro aumenta 28%

Antes de embarcar, é importante pesquisar sobre vacinação e entrada no país para evitar dores de cabeça

Com a reabertura gradativa das fronteiras internacionais e o avanço no cronograma de vacinação dos brasileiros, já é possível identificar um aumento na movimentação das agências de viagens, tanto para remarcações quanto cotações e reservas com embarque ainda este ano, com especial concentração no terceiro trimestre.

Boa parte dessa reabertura de fronteiras se deve ao avanço da vacinação no país, que registra mais de 62 milhões de brasileiros com o ciclo completo de imunização (194.164.179 primeiras doses já foram aplicadas). Já no DF, 825.606 pessoas já tomaram a segunda dose.

O crescimento vem sendo verificado desde março, com movimento em elevação de até 28% na procura por viagens com embarque entre os meses de setembro e dezembro. Nas buscas sobressaem os destinos com menos restrições ou que se mantiveram abertos para brasileiros, caso de Dubai, México e Ilhas Maldivas.

Porém, as agências projetam boa demanda também para países da Europa recém abertos, como a Suíça e a França, e existe grande expectativa pela liberação das viagens aos Estados Unidos e Canadá.

As medidas restritivas ao ingresso de estrangeiros adotadas no contexto da pandemia de Covid-19 são prerrogativas soberanas de cada governo e mudam constantemente, conforme se atualizam as avaliações sobre as condições sanitárias. Por esse motivo é imprescindível que as agências de viagens e as pessoas interessadas em sair do país se mantenham atualizadas, buscando sempre as informações junto a fontes oficiais do governo de cada destino ou no site do ministério das relações exteriores.

O que fazer antes de embarcar?

Viajar na pandemia requer cuidados especiais. A especialista em viagens Ylka Liberato explica que antes de embarcar, o turista deve procurar notícias sobre o seu destino. Assim, saberá a fase pela qual o local está passando e ainda mais o nível de controle da doença.

“Especialmente nas viagens internacionais, se informe sobre o sistema de saúde e se existe a necessidade de vacinas específicas ou as principais doenças que ocorrem no país. No aeroporto, muito cuidado. Você encontrará um fluxo muito grande de pessoas, de vários lugares e nacionalidades. Então, se atente com as superfícies em que toca, lavando sempre as mãos ou utilizando o álcool 70% para higienização. Há disponível em diversas áreas”, pontua a especialista.

Ylka Liberato também reforça a importância do uso de seguro-viagem mesmo que o destino final não exija, principalmente em tempos de pandemia.

“Ele será a garantia de cuidados com a saúde e suporte para imprevistos, como extravios de bagagem, cancelamento de voo, entre outros. No caso de viagem internacional na pandemia, há países que exigem a contratação de seguro-viagem com cobertura para Covid-19 como requisito de entrada. São exemplos a Tailândia e a Costa Rica, ambos abertos para turistas brasileiros”, explica a especialista.

É importante, segundo Ylka, que o turista verifique a situação de entrada no país escolhido. Alguns locais como Portugal, exige o teste RT-PCR COVID-19 negativo, realizado 72h antes do voo, de todos os passageiros – seja qual for a origem, caso contrário não poderão viajar. Essa é uma exigência até mesmo para quem permanecer na sala de embarque para uma conexão.

“Por outro lado, encontramos países com restrições de entrada de estrangeiros em todos os continentes. Quando pensamos em viajar para os Estados Unidos, apesar de haver voos Brasil-EUA, a entrada de pessoas que tenham passado os últimos 14 dias no Brasil continua proibida, exceto cidadãos americanos, residentes e seus familiares. Verifique periodicamente as informações atualizadas nos sites oficiais do país de destino”, orienta.

O post Procura por viagens entre setembro e dezembro aumenta 28% apareceu primeiro em Jornal Opção.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.