Quem vai encarar a Japinha? Jovem nordestina é o retrato do bregafunk brasileiro

Com mais de 25 mil seguidores apenas no Instagram, a jovem pernambucana já possui cerca de 20 composições próprias, além de parcerias e planeja o lançamento de mais cinco inéditas

Nordestina arretada. Mulher forte e decidida. Nasceu em Pernambuco, mas fez da internet sua terra natal. A cantora e compositora Keila Ruama, a Japinha, agora, prestes a lançar mais alguns sucessos de bregafunk, é a prova de que um estilo musical pode dominar o mundo.

Com mais de 25 mil seguidores apenas no Instagram, a jovem mostra seu talento musical e artístico com suas danças e performance originais. “Já tenho mais de 20 músicas compostas, e agora estamos planejando o lançamento de mais 5 inéditas que tenho certeza, serão sucessos”, afirma.

Agenciada pela empresa Utnick Production, da empresária Sophia Utnick, a Japinha conta que, apesar do sucesso musical que vem fazendo com suas composições, não vai deixar de lado a vida virtual. “Comecei como influencer, mas foi com a música que ganhei fãs. As pessoas adoram e interagem com meu trabalho, e todos os dias ganho um seguidor novo de alguma parte do país. É a Japinha, meu amor”, provoca.

Além das músicas próprias, a jovem também faz parcerias de sucesso, como a música “Ninguém pode saber”, do artista  Mc Lipinho Atrevido, que navega pelo mesmo estilo musical. 

“Acredito que o bregafunk é a nova cara da música brasileira. É uma mistura de dois estilos muito apreciados, que estão em alta e têm tudo para expandir ainda mais”, completa.

As músicas lançadas pela Japinha estão disponíveis na plataforma de áudio Spotify e em todas as plataformas musicais.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.