Rodoviária Rita Maria, em Florianópolis, terá energia solar e captação de água da chuva

Previsões são do Governo do Estado, que pretende lançar edital para concessão do terminal rodoviário, à iniciativa privada, em novembro

Aproveitar melhor a área comercial, readequar os espaços, implementar medidas voltadas ao meio ambiente, como o abastecimento por energia solar, por meio de um sistema fotovoltaico. Essas são mudanças previstas para o Terminal Rodoviário Rita Maria, em Florianópolis, que completou 40 anos na última terça-feira (7).

Terminal Rodoviário Rita Maria em Florianópolis

Terminal Rodoviário Rita Maria terá gestão da iniciativa privada e projeto de revitalização 

Nessas quatro décadas, o Rita Maria foi administrado pelo governo do Estado, o que também deve mudar no futuro. A intenção do governo catarinense é lançar uma licitação, em novembro deste ano, a fim de revitalizar a rodoviária que homenageia a benzedeira de Florianópolis Rita Maria e transferir a gestão à iniciativa privada.

Além de um local de passagem, o objetivo é que o terminal volte a proporcionar encontros e mais convivência. Para viabilizar a concessão, o governo do Estado fez um chamamento público, há um ano, para a apresentação de estudos técnicos. Quatro empresas foram habilitadas e duas formalizaram propostas, que servirão de base para a concessão.

Reaproveitamento da água da chuva nos sanitários será uma das mudanças do Rita Maria após concessão – Foto: Leo Munhoz/ND

Reaproveitamento da água da chuva nos sanitários será uma das mudanças do Rita Maria após concessão

O primeiro estudo é da Sinart Ltda e serão aproveitadas análises de mercado, econômico-financeiras, de engenharia e de arquitetura, ou seja, a parte operacional e as alterações físicas. Também foi selecionada a análise jurídica e a fundamentação legal, oriundos de relatórios da Vallya Advisors.

Comerciantes não têm detalhes da concessão do Rita Maria

Os estudos prévios para futura concessão do Rita Maria custaram R$ 1,6 milhão e o valor será ressarcido pela empresa que vencer o edital. Os comerciantes da rodoviária, entretanto, ainda não conhecem os detalhes da provável mudança.

Uma comerciante, que preferiu não se identificar, disse que embora outros lugares não tenham tantas restrições, o Rita Maria está com limitações para o acesso de pessoas, o que prejudica a circulação e o faturamento das lojas.

Ela também contou que o movimento está baixo nos últimos meses e que houve pequena melhora no último feriadão. Sobre a concessão, relatou que os comerciantes não têm os detalhes e que alguns encerram seu contrato para atuar no Rita Maria em um ano, outros em dez. Ela não sabe, também, em que momento será a licitação.

Trabalhador fala sobre movimento em restaurante no Rita Maria durante a pandemia

Francisco relata melhoria no movimento dentro do Rita Maria nos últimos dois meses 

Caixa de um restaurante no Rita Maria, Francisco de Oliveira, 60 anos, disse que também não conhece detalhes da futura concessão, mas que ouviu falar a respeito.

Ele conta que o estabelecimento ficou fechado sete meses na pandemia, mas não houve demissões e o movimento começou a melhorar há dois meses. “Pouco a pouco está melhorando. A expectativa é a temporada de verão. Vai melhorar muito”, acredita Francisco.

Turista olhando exposição de fotos e artes do Rita Maria

De passagem pelo Rita Maria, o gaúcho Aluísio dos Santos conferiu a exposição com fotos antigas da rodoviária e elogiou o desenvolvimento do local 

De Porto Alegre e de passagem na rodoviária, o aposentado Aluísio dos Santos, 60 anos, esperou duas horas para embarcar rumo a Garopaba. Sem bateria no celular, Aluísio disse que tentou recarregar o aparelho no terminal, mas que as tomadas não estavam funcionando. Mas ele elogiou a transformação do local, que passou a ter mais opções de comércio, segundo ele.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.