Sabadão do DCM – 11 de setembro não terminou; Bolsonaro tenta transformar arregada em “estratégia”

11 de setembro não terminou; Bolsonaro tenta transformar arregada em “estratégia” – Foto: Thumb/DCM

11 de setembro e Bolsonaro são o assunto. AO VIVO. Kiko Nogueira analisa as principais notícias e conversa com o professor de relações internacionais e escritor Reginaldo Nasser e com o cientista político Alberto Carlos Almeida.

Leia também

1- Militares criticam general que comanda a Petrobras por salário acima de R$ 200 mil mensais

2- Serviços de inteligência identificam 24 empresas suspeitas de ajudar na greve dos caminhoneiros

11 de setembro

Canais ligados à Al-Qaeda lançaram um vídeo nas redes sociais para comemorar os 20 anos dos ataques de 11 de setembro.

O grupo terrorista foi responsável pelo atentado que causou a morte de 2.977 pessoas, além dos 19 sequestradores dos aviões.

Na gravação, Al Zawahiri, líder do grupo, aparece vestido com uma túnica e se apresenta com uma longa barba branca.

Ele fala por mais de uma hora sobre vários assuntos, em especial a causa palestina.

Bolsonaro estrategista

Em dois dias, Bolsonaro mudou o tom contra ministros do STF, em especial Moraes. O presidente chamou o magistrado de “canalha” e disse que descumpriria suas decisões.

No entanto, o mandatário divulgou um pedido de desculpas em “Declaração à Nação”, e passou a chamar Moraes de “jurista e professor” – com direito a menção sobre suas “qualidades”.

“Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do ministro”, afirma Bolsonaro no texto.

Em tom bem mais ameno, o presidente afirma que “nunca teve nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes”.

“A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção devem respeitar”, enfatizou Bolsonaro.

Apesar de todo arrego do presidente, um adendo: o manifesto foi escrito por Temer.

Confira a live abaixo:

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.