Sandinistas promovem campanha eleitoral com símbolo dos anos 1980

O partido Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), que nomeou o presidente Daniel Ortega para concorrer a um quarto mandato consecutivo em novembro, reinstalou siglas partidárias gigantescas em uma colina em Manágua, como as que usaram em 1980.

A gigantesca placa, que pode ser avistada a grande distância na zona sudoeste da capital, foi construída em concreto no último final de semana no alto do morro de Motastepe, como na década de 1980, quando o partido governou o país pela primeira vez, após o triunfo da revolução sandinista (1979).

“As iniciais da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) serão vistas mais uma vez no topo do morro Motastepe”, disse o site da Rádio Ya, uma estação partidária.

Após a derrota de Ortega, em 1990, para Violeta Barrios de Chamorro, o marco foi retirado pelo então prefeito da capital Arnoldo Alemán, presidente entre 1997-2001.

“Os governos dos traidores apagaram as iniciais para enterrar o sandinismo, mas hoje mais do que nunca é a força de um povo que vence, com Daniel e (a vice-presidente, sua esposa) Rosário (Murillo) no comando”, afirmou a estação sandinista.

A instalação da placa em letras brancas ocorre no contexto do processo eleitoral, cuja campanha política está prevista para começar no dia 25 de setembro.

Ortega voltou ao poder em 2007 e em seu último mandato é acompanhado na vice-presidência por sua esposa, Rosario Murillo, que é sua companheira de chapa nas eleições de 7 de novembro.

O processo eleitoral ocorre sob um clima tenso e duras críticas da comunidade internacional, devido às ações jurídicas e políticas empreendidas pelo governo Ortega contra 36 opositores, incluindo sete que aspiram à presidência. Todos estão presos, acusados de crimes de traição ou lavagem de dinheiro.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.