SC define regras para volta do público aos estádios; veja como vai funcionar

A portaria que estabelece novas medidas sanitárias para a possibilidade de acesso do público aos estádios de futebol profissional de Santa Catarina deve ser publicada nesta segunda-feira (13).

O acesso deve ser feito de forma controlada, ficando condicionado a limites de ocupação de público sentado, de acordo com a portaria. A informação foi divulgada neste domingo (12) pelo governo do Estado.

estádio torcida

Retorno da torcida aos estádios deverá seguir todas as recomendações sanitárias. Foto: Arquivo/Márcio Cunha/Chapecoense/Divulgação/ND

Entenda como funcionará

Conforme informação do governo de Santa Catarina, do dia 15 ao dia 30 de setembro, o limite de ocupação simultânea deve ser de 30% das cadeiras ou similares por setor – com máximo de 2.500 pessoas por estádio.

Já do dia 1º até o dia 31 de outubro, o limite de ocupação simultânea será de 40% das cadeiras ou similares por setor – com máximo de 3.500 por estádio.

O governador Carlos Moisés já havia comunicado, por meio de uma rede social, a data para o retorno do público aos estádios de futebol: 15 de setembro. Sob o argumento de se posicionar como um dos “estados que mais vacinam”, o chefe do Executivo denominou a decisão como uma espécie de “passo a frente”.

Imunização e teste de Covid-19

A presença do público deverá a obedecer a pelo menos uma das condições previstas na portaria: pessoas imunizadas com esquema vacinal completo (com duas doses ou dose única) da vacina contra Covid-19 ou pessoas que apresentem laudo de exame RT-qPCR realizado em até 72 horas antes da partida com resultado negativo, não reagente ou não detectado.

O torcedor que quiser assistir ao jogo deverá apresentar comprovante de vacinação pelo aplicativo “Conecte SUS” ou por meio de comprovante, caderneta ou cartão de vacinação impresso em papel timbrado emitido pela Secretaria Municipal de Saúde ou afins.

Já a comprovação do resultado negativo do exame, ele deverá apresentar o laudo impresso realizado por estabelecimentos credenciados.

Torcedores terão que apresentar resultado negativo para Covid-19 ou as duas doses da vacina – Foto: Arquivo/Hélia Scheppa/SEI/Fotos Públicas

Todos os estádios também deverão deixar disponível um plano de contingência atualizado. Neste plano, deve conter a caracterização do estádio e sua ocupação máxima de público sentado, definição do calendário dos jogos, os fluxos de entrada e saída, as medidas para situações de urgência e emergência, monitoramento de riscos, contingenciamento, medidas de comunicação das regras sanitárias, manutenção de distanciamento e averiguação de comprovação vacinal.

Medidas que devem ser implementadas: 

  • A comercialização de ingressos deve ser realizada preferencialmente por meio eletrônico, podendo também ser feita de forma presencial, sendo obrigatória a emissão de ingresso nominal;
  • Para acesso ao estádio, será obrigatória a apresentação do comprovante de vacinação completa ou do laudo de exame RT-qPCR ou Pesquisa de Antígeno com resultado negativo;
  • O uso de máscaras é obrigatório durante todo o período de realização do evento;
  • Apenas será permitida presença de público no setores com assentos numerados.
  • É vedada a presença do público em pé;
  • Os portões devem ser abertos com no mínimo 3 horas de antecedência à partida, para coibir aglomerações;
  • Deverá ser providenciada marcação e cumprimento de distanciamento físico de 1,5 m.

A portaria completa será divulgada na segunda-feira. “Toda essa regulamentação é feita de forma gradual e monitorada, obedecendo o cumprimento das regras vigentes. É importante deixar claro que haverá necessidade de autorização expressa da prefeitura, igualmente. Nós só chegamos até aqui porque temos conseguido frear a disseminação do coronavírus no Estado, com vacinação, orientações e, claro, com a ajuda de todos”, finalizou o secretário da Saúde, André Motta Ribeiro.

Novo mapa de risco

Divulgada neste sábado (11), a Matriz de Risco para Covid-19 do Governo do Estado, aponta que a Amurel (Associação de Municípios da Região de Laguna), foi reclassificada para o nível grave. A região permaneceu na última semana na cor amarela, ou seja, com risco potencial alto para coronavírus, mas a classificação foi alterada.

Nova matriz de risco para a Covid-19 é divulgada em Santa Catarina – Foto: Governo de Santa Catarina/Divulgação/ND

Além da Amurel, as regiões Carbonífera e Extremo Sul também foram reclassificadas no patamar para nível grave. Outras localidades também estão no mesmo nível da matriz para risco grave, são elas: Médio Vale do Itajaí, Oeste, Xanxerê e Planalto Norte.

Conforme dados da matriz , segue em risco alto (amarelo) : Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Alto Vale do Rio do Peixe, Extremo Oeste, Foz do Rio Itajaí, Grande Florianópolis, Meio Oeste e Serra Catarinense. Não há regiões no patamar azul, que representa o risco moderado para Covid-19.

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.