Sindicato acusa Prevent Senior de coagir médicos a assumirem culpa por receitarem cloroquina

O Sindicato dos Médicos do Estado de São Paulo (Simesp) afirma que recebeu denúncias informando que a operadora de plano de saúde Prevent Senior está coagindo médicos a assinarem documento no qual atestam que receitaram o “kit Covid” a pacientes por espontânea vontade. Os medicamentos não têm eficácia comprovada contra a doença.

“Isso configura uma ‘declaração individual’ dos médicos como se não houvesse qualquer determinação da Prevent Senior, em uma tentativa de eximir a instituição de sua responsabilidade – uma flagrante ação de fraude”, afirma o sindicato em carta aberta.

Os médicos estariam sendo obrigados a receitarem o uso da cloroquina, sem qualquer autonomia e poder de decisão.

“[No dia 16 deste mês] houve um novo capítulo da Prevent Senior com a CPI ao ser divulgado um dossiê o qual informa que a empresa administrou o ‘kit Covid’ sem autorização e ciência dos pacientes. De acordo com o documento, nove pacientes morreram e cerca 700 foram cobaias nos testes realizados pela Prevent Senior, em evidente conluio com o Governo Federal. São graves denúncias de possíveis crimes contra a humanidade e compreendemos que tal política de morte não coaduna com o papel social do médico”, finaliza a carta aberta.

Leia na íntegra:

Caros colegas,

Como é de conhecimento público, está ocorrendo uma CPI para investigar a forma com que o Governo Federal vem gerindo a pandemia do Coronavírus no país. Durante as investigações, o Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) recebeu denúncias de que os médicos que trabalham para a Prevent Senior estavam sendo obrigados a receitarem o “Kit Covid”, sem qualquer autonomia e poder de decisão que o médico possui, o que contraria o Código de Ética Médica.

Ontem (16/9), houve um novo capítulo da Prevent Senior com a CPI ao ser divulgado um dossiê o qual informa que a empresa administrou o ‘Kit Covid’ sem autorização e ciência dos pacientes. De acordo com o documento, nove pacientes morreram e cerca 700 foram cobaias nos testes realizados pela Prevent Senior, em evidente conluio com o Governo Federal. São graves denúncias de possíveis crimes contra a humanidade e compreendemos que tal política de morte não coaduna com o papel social do médico.

Segundo denúncias feitas ao Simesp, os profissionais associados à Prevent Senior estão sendo coagidos a assinarem um documento atestando que, caso tenham receitado “Kit Covid”, foi por sua livre e espontânea vontade. Isso configura uma “declaração individual” dos médicos como se não houvesse qualquer determinação da Prevent Senior, em uma tentativa de eximir a instituição de sua responsabilidade – uma flagrante ação de fraude.

O Simesp é uma entidade que representa os interesses da categoria médica e atua na defesa de seus direitos. Diante das denúncias que recebemos, vimo-nos na obrigação de ajudar você que foi coagido ou assediado e muitas vezes não teve voz estando dentro da instituição.

Orientamos que estes médicos não assinem nenhum documento sem antes procurar uma Assessoria Jurídica e colocamos o nosso departamento jurídico à disposição. Se assinada, tal “declaração individual” poderá ser usada contra o profissional em um eventual processo ético e criminal.

Caso você médico e médica queira denunciar esta situação, o Simesp disponibiliza este link onde você poderá, de forma totalmente anônima, relatar as situações que presenciou na Prevent Senior. Salientamos que não temos nenhuma relação com o Cremesp e a ANS e que a empresa não terá acesso algum à sua identidade. Vale ressaltar que eventuais medidas judiciais serão tomadas de forma mais efetiva àqueles que se identificarem e se posicionarem.

Neste momento, a união da categoria médica é imprescindível para a defesa da autonomia do exercício de nossa profissão.

O post Sindicato acusa Prevent Senior de coagir médicos a assumirem culpa por receitarem cloroquina apareceu primeiro em Metrópoles.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.