Três mentores do esquema de falsas lotéricas no Pará são presos no Ceará


Ao todo, 11 integrantes do grupo foram capturados em ação da polícia civil dos estados do Pará e do Ceará. Uma das lotéricas falsas abertas pelo grupo criminoso, segundo a polícia
Polícia Civil/Reprodução
Três homens apontados como mentores do esquema de falsas lotéricas no Pará e de correspondentes bancários de fachada em cidades cearenses foram presos, neste sábado (11), no Ceará. Novas buscas foram feitas em Fortaleza e Aracati. As prisões foram divulgadas pela Polícia Civil paraense na noite deste sábado.
Até o momento, 11 já foram presos por participação no esquema criminoso, que gerou prejuízo superior a R$ 500 mil. De acordo com a secretaria da Segurança do Ceará, o golpe destes criminosos no Ceará envolvia a montagem de falsos correspondentes bancários, mas no Pará eles criaram falsas lotéricas.
Em 1º de setembro, cinco criminosos envolvidos no esquema foram presos na capital cearense, Beberibe e Horizonte, e, no dia 4, outros três suspeitos de participação no golpe foram capturados em um condomínio de luxo na Lagoa do Uruaú, também em Beberibe, cidade turística no litoral cearense.
LEIA TAMBÉM:
Falso correspondente bancário no Ceará estava registrado em nome de adolescente; cinco suspeitos foram capturados
Suspeitos de montarem falsas casas lotéricas no Pará são presos no Ceará
Um dos chefes presos neste sábado no Ceará, segundo a Polícia Civil, é acusado de ter cometido outras fraudes contra empresas e bancos públicos nacionais. Em um dos crimes, ele utilizou documentos falsos para obter empréstimo de R$ 100 mil.
Investigações apontaram que ele estava hospedado em uma pousada no litoral do Ceará. O homem foi capturado em cumprimento a um mandado de prisão preventiva decretada pela Vara de inquéritos de Belém (PA).
No estado do Pará, um levantamento da Polícia Civil aponta que o criminoso embolsou cerca de R$ 500 mil. Os criminosos vão responder por dano qualificado, apropriação indébita, estelionato, associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso.
Agência em nome de adolescente
Grupo é preso em Beberibe por abrir falsos correspondentes no Ceará
Divulgação/SSPDS
Uma falsa empresa de correspondente bancário em Beberibe, estava registrada no nome de um adolescente, conforme a delegada da polícia civil do Ceará, Ana Scotti.
“No início do ano, foi identificado que indivíduos estavam abrindo uma loja de ‘chegue e pague’, que é um correspondente bancário, no Centro da cidade [Beberibe]. As pessoas começaram a nos procurar informando que estavam pagando boletos no local e, dias depois, os boletos não eram compensados”, explicou a delegada.
Os locais, que se assemelhavam a casas lotéricas, recebiam pagamento de boletos, mas os valores não eram compensados nos destinatários. Os espaços onde os golpes eram aplicados fecharam poucos dias após o início do funcionamento.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.